Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Sonho!

por Narciso Santos, em 08.07.18

Todas as noites fico sozinho... entregue a mim e a uma música melancólica que toca vezes sem conta... Sinto-me triste, frágil, estou carente. Imagino como seria se te tivesse a meu lado, quando apenas tenho vontade de morrer! Noite após noite, quando fico assim sozinho penso em ti, em como seria se me conhecesses, como seria se os nossos lábios se tocassem por um momento... sei que dramatizo sei que este mau estar não passa de um romantismo exagerado, criado por uma imensa necessidade de atenção...

Todas as noites fico sozinho, choro por dentro, pinto um arco-íris em tons de preto e branco, percorro uma praia deserta, que me atira à cara sobre a forma de brisa toda a minha solidão... mostra-me todo o vazio que existe dentro de mim... Olhando para as minhas mãos, imagino os meus dedos a tocar nos teus labios, sentido aquela textura sensual. Sei que penso de mais... Sei que gostarias de me amar, sei que seria lindo...

Todas as noites fico sozinho, esperando que o sono venha, e que me traga os sonhos, em que eu me alimento, tornando-me a cada dia cinzento mais dependente, sustento assim uma doença. Quero viver e tornar os meus sonhos reais, quero sonhar para esquecer a dureza do mundo... no fundo só te quero a ti... a meu lado quando... quando já nem o nós existe... Apenas...


Queria Ser...

por Narciso Santos, em 13.12.17

Queria ser poeta. Gostava do som da palavra. Depois escritor, porque contava histórias a mim mesmo para adormecer. Ser astronauta, a profissão óbvia, foi apenas uma breve passagem. Depois pelo Direito. De usar as palavras. Pelos outros. Consegui economia, arte de misturar letras e números e mesmo assim me confundi...Tentei ficar-me pelo Marketing desejo de criar necessidades... Ficarei antes pelas BOAS NOITES pois é mais fácil nos guiar nos sonhos onde podemos ser o Tudo e o Nada... Boa Noite!


Aerosmith - Dream On

por Narciso Santos, em 20.11.17

... Sonho e não durmo... tenho pena de não acordar... um dia... um dia terás tudo o que mereces, e o que dirá o teu melhor amigo quando a ele chegares de olhos molhados, e segurando nos braços muito dos teus sonhos, já sem vida, sem cor, sabor ou cheiro... e te fará sorrir, por momentos, em que sonharas que tudo e possível...

A dormir ou acordado... não deixem de viver os vossos sonhos, nem que em pensamento seja... Bonito ou não... um beijo para quem nunca o pensa receber...


Me, Myself and I

por Narciso Santos, em 28.06.17

"Não sou nada

Nunca serei nada.

Não posso querer ser nada.

À parte isso, tenho em mim todos os sonhos do mundo."

Álvaro de Campos

 

Porque danço a meio do dia. porque abro os olhos num sorriso imenso para o mundo. porque choro. porque me provo. porque erro. porque espero sempre alguém. porque sonho sempre de olhos abertos para o futuro. Porque sou inteiro quando te amo. Porque sou absoluto. Porque sou cavalo selvagem. porque sou a liberdade na flor. porque sou a presa fácil do amor. porque sou assim. apenas eu. apenas sonho. nuvem de fantasia. porque sou todo em ti. porque nada deixo para mim. porque me abraço. porque tenho frio. porque me acaricio. porque tenho fome. de ti. porque me olho ao espelho. e não te vejo. porque rodopio sozinho a meio do dia. porque sonho. Sempre. muito...

Hummm, este nome Narciso que me deram, começa a fazer algum sentido...

 


Sonho

por Narciso Santos, em 22.05.17

Conheci um Sonho, jovem e simpático... irradiava bem-estar! Foi-se dando a conhecer, e a cada conversa nossa eu sentia-me apaixonar, lentamente de uma forma tão suave que me deixava arrepiado. Passaram-se semanas, já não era apenas um sonho... era o meu sonho, era ele que me fazia sorrir, era ele que me beijava todas as manhãs quando acordava. Um dia o sonho chegou perto de mim, e com um olhar confiante perguntou-me: Eras capaz de lutar por mim? - Fiquei parado, pensativo... Respondi-lhe que sim! Aí o sonho cresceu ainda mais, tornou-se tão grande, que eu já não o sabia distinguir da realidade. A cada batalha, o sonho parecia mais forte... e eu mais confiante. 

Até que um dia o sonho tanto cresceu que consegui tocar na Realidade... Nesse dia o Sonho morreu!

Serão os sonhos eternos? Ou apenas desejos efémeros?


Sonho!

por Narciso Santos, em 18.04.17

... Sonho e não durmo... tenho pena de não acordar... um dia... um dia terás tudo o que mereces, e o que dirá o teu melhor amigo quando a ele chegares de olhos molhados, e segurando nos braços muito dos teus sonhos, já sem vida, sem cor, sabor ou cheiro... e te fará sorrir, por momentos, em que sonharas que tudo e possível... A dormir ou acordado... não deixem de viver os vossos sonhos, nem que em pensamento seja... Bonito ou não... um beijo para quem nunca o pensa receber...


Memórias de um Beijo

por Narciso Santos, em 03.03.17

Minha vida é um filme.

Eu sou o riso, a luz e o fim.
Sou o coadjuvante e sou o príncipe.
Eu sou eu mesmo e sou tão louco.
Sim, eu sou feliz, e faltam cinco minutos para eu ser mais.
Sou quase poeta e sou quase a poesia.
Sou quase artista, quase estilista, sou quase santo (nome pelo menos).
Sou quase... Sou quase.
Minha vida é um filme, um circo e um livro, é um palco, é escuro, é um tgv.
Sou criança e sou tanto...
Tão pouco sei de mim... e brinco e sonho e penso e divago....Vejo mundos que não são os meus, vivo num mundo que não considero meu…

Sou adulto, sou criança, sou homem, sou humano, mas não quero ser nada disto porque também não o que quero, mas ao mesmo tempo quero tudo e não se pode ter tudo e não se consegue parar de escrever ate os dedos sangrarem e quando finalmente pararmos nada do que escreveremos fará qualquer sentido, mas ao se entranharem em nós alguns podem retirar sentido destas frases soltas, palavras, carateres....

É algo mais para preencher espaço aqui....


Criança

por Narciso Santos, em 23.01.17

As vezes proponho-me a mim mesmo, no meio de longas conversas de angústia e depressão que eu tenho com a minha consciência, escrever textos que tenham o brilho de um sorriso, que tenham o calor de um abraço... Aquele texto que nos dê a sensação de uma festa que a nossa mãe nos dava quando nos magoávamos na brincadeira.

Acho que a inspiração teria de surgir do meu tempo de menino, quando corria atrás de bichos-de-conta... e fazia estradas para as formigas... tive a oportunidade de passar a minha infância numa "barraca" que não era dos meus pais e mesmo assim ter passado as passas do caralho!, mesmo que nos arredores da grande metrópole, Vila do Conde, pois para mim só existia Caxinas, mesmo assim tinha acesso aqueles momentos lindos que me marcaram na infância e nunca os vou apagar da memória, como o cheiro a terra, o cheiro da erva molhada quando chovia as espigas da Srª Maria, sim “roubei” imensas, o campo da Dona Rosa onde “Roubava” as Uvas "americanas" as brincadeiras que daí advinham, como roubar figos, brincar à agricultura, subir árvores... Basicamente nesta altura com cerca de 8 anos aprendia a arte de ser ladrão, ou seja, a arte de ser político.

Agora que penso, lembro-me de tantas brincadeiras que eram feitas na companhia da solidão, acho que devo ao facto de ser filho único (mesmo tendo uma irmã que muito me mimou, mesmo sendo mais nova... C. I Love you My Sister <3 !) a minha criatividade, aprender a brincar sozinho, fazer o bom e o mau (normalmente o mau), jogar para uma equipa vencer e outra perder... a minha ganhava sempre pois nem a feijões gosto de perder... isso molda a personalidade de uma pessoa.... cria sonhos, uuuiiii quantos sonhos...., cria carências... inúmeras...

Mas é no tempo de menino, que mais sonhamos, que mais ingénuos somos, que mais nos rimos, rimos de bem-estar, de um abraço dos pais, de um arroz-doce da avó, de um chupa-chupa do senhor do café, dos desenhos animados... Aqueles que todos acordavam bem cedo para os ir ver...quem não se lembrar de ficar à espera que a televisão começasse a emitir para ver os desenhos animados, com aquele fundo preto com umas listas coloridas à frente... depois tocava a música da SIC que sabia de cor, e começava uma autêntica maratona de boa disposição e grandes lições para a vida... Ao falar de séries televisivas e da minha meninice lembro-me da Rua Sésamo, o tanto que eu tenho a agradecer ao conde de contar e a merda dos morcegos que ele contava, meu “brother” B. M. era exímio a imitar tal façanha, de longe o meu preferido...e as músicas como a…"eu gosto de ginasticar”…”as do conde de contar”…

Ter sido uma criança, foi das melhores coisas que me aconteceu na vida.

Assim pinto um quadro com cheiro a caramelo, e tons de um amarelo forte, igual ao sol que brilha lá fora, no pátio onde eu fui astronauta e mosqueteiro do rei, onde tudo era possível, e o bem vencia sempre...

Foda-se tenho que mudar o toque do meu telemóvel do "Dragon Ball Gt" para outra coisa qualquer... Peace!


Sonho / Realidade

por Narciso Santos, em 13.01.17

Source: Je, Me, Moi: Praia das Caxinas

Manhã de nevoeiro. E tão natural aqui. Quase banal. Fecho os olhos. Aspiro a humidade que se mistura com o cheiro a maresia e que se cola suavemente ao meu corpo. E bom estar assim... sozinho no vazio. Cheio de paz. Depois quero mais. Descalço as sandálias e enterro os pés na areia fina e ainda fria... o vento despenteia-me o cabelo. Noutras alturas talvez isso fosse importante. Isso do cabelo. Isso da imagem. Da postura. Mas hoje. Agora. Não…  A água está gelada. Como também é natural aqui. Principalmente a esta hora. Quase madrugada. Num impulso para o qual não me apetece arranjar explicações desato a correr pelo extenso areal. Devia parar aqui. Sinto-me cansado. Mas continuo... Não quero. Não posso. Parar. A praia é só minha. A linha molhada do horizonte é o meu limite. Quero alcança-lo. Segura-lo na minha mão  E continuar sempre. Entro na água. Mesmo vestido. Já não sinto frio. Já não sinto nada. Sou só livre. Por hoje. Por agora. Aqui e só mesmo isso que importa. A liberdade.

Abro os olhos...o sonho acabou, para se tornar em uma realidade… pois está em mim… pois estás á saída da porta da rua.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2020
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2019
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2018
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2017
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2016
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D

Favoritos