Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Eu... Tu...

por Narciso Santos, em 08.07.18

"Passeio sozinho, por uma cidade já quase adormecida.. sou apenas mais uma pessoa incógnita que deambula por ruas estreitas e pouco iluminadas... Esta noite não consegui dormir, decidi passar a noite na rua.. procurando algo que julgo ter perdido á tempo de mais... Busco a minha identidade, busco aquele brilhar que desistiu de me iluminar.. já nem eu me lembro bem... Sinto-me um sem abrigo.. vivendo num banco de jardim.. conhecendo todas as ripas, rijas e frias, em que me deito todas as noites..."

 

(...)

 

Não quero mais escrever sobre coisas tristes... procurando nos meus textos empatias descartáveis.. sentimentos momentâneos...

 

Estou perturbado.. novamente esta instabilidade que me faz apagar e re-escrever frases pseudo-sinceras que instantaneamente concordo e discordo, a escrita não flui, a mente num conflito em busca de um estado de espirito mais estável...

 

Gostava de vos escrever coisas bonitas.. gostava de vos ser sincero.. gostava de ser sincero comigo...

 

Gostava de poder acabar este texto com uma frase inteligente profunda.. que vos fizesse pensar e me deixa-se orgulhoso pela sua criação...

 

Mas há noites, em que apenas consigo receber... há noites em que só penso num beijo, noites em que a ausência de afecto parece incomodar mais...

 

"Já não existe mais um TU nas minhas frases, apenas a ausência de um EU!"


Quem sou?

por Narciso Santos, em 19.06.18

Sei lá eu! Não sei de mim.

Tão pouco ou nada sei dos demais.

Sou um rosto a mais no espelho posto.

Outro vulto ausente de sinais.

Um sorriso perdido entre os demais.

Quem sou eu? Fodasse!!!!

Sou só assim, pedaço solto.

Entregue num corpo exposto.

Aberto em rima pura de infinito.

Quem quer saber de mim?

Quem bem me quer prender os laços?

Conhecer esta alma plangente de "Home"?

Os meus olhos morrem pelos V/ abraços.

Quem sou? Onde vivo?

Quem quer saber?

Vivo na imensidão absorta do V/ ser.


Escrevo!

por Narciso Santos, em 18.07.17

Escrevo para ti, para nós para vós… Quase utilizei todos os pronomes existentes… Sim porque não escrever para o Mundo…

Aqui estou eu despido das minhas armas, da minha armadura, das minhas camadas, das minhas personalidades e somente Eu me escrevo. Não os eus feitos de tus de outrora mas sim o verdadeiro Eu…·Porque escrevem? Boa questão. Talvez por ser um Homem pequenino neste mundo enorme… Talvez porque afinal não sou tão forte como sei que não sou, mesmo dando essa imagem de inquebrável, talvez por estar um dia completamente terrível, me escondo (sim tenho que escrever em português do Brasil) no seio dos cobertores e entre as almofadas para tentar não ouvir a fúria da mãe natureza… Não sei… Pelo menos vai saindo caracteres que se irão tornar em frases…
Eu escrevo, escrevo as palavras que nunca querem ouvir, as palavras que nunca vos consigo dizer (normalmente é sempre esta opção). Eu escrevo tudo aquilo que o meu coração grita e o meu sorriso tenta silenciar. Eu tremo. Eu choro. Eu escorrego e Eu caio…
Talvez por ser um sonhador… Talvez por querer mudar o mundo… e acredito que não é preciso muito, bastam pequenos gestos, pequenas coisas. Ok Sonhador… Foda-se mas ao menos sei sonhar (isto soa um pouco a Tony Carreira)… Chamem-me sonhador… Pode ser que a sonhar possa ser o Herói que almejo, pois nos meus sonhos quem manda sou eu… ainda…
Sou muito menos do que aquilo que vocês dizem que sou, mas talvez mereça muito mais do que aquilo que acham. E aqui vou vos amando… Distante… Mas sempre presente, não como queria mas como posso. Aqui, longe de vós, “perdido” entre recantos deste meu mundo e os becos do meu coração, eu escrevo tudo aquilo que nunca sou capaz de vos dizer cara a cara, aquilo que eu nunca me permito dizer, não de forma propositada mas porque não sei ser de outra forma, talvez a minha maior virtude/defeito…
Pinto os meus sonhos, ponho um sorriso e assim continuarei a viver sempre na esperança que tudo se resolva, que consiga ser o vosso Herói. Eu escrevo, e escrevo.. .
Estou aqui… sempre com as minhas raízes presentes… sempre com vós… e escrevo…
Escrever para vós é desnudar todos os bosques, onde pinheiros bravos crescem na aridez do solo. Onde sombras na noite escura passam… onde neste momento se encontra a tempestade a pinto de bonança… já não sou eu, que estou mergulhado na escuridão, na tempestade... há muito que vos reencontrei… mesmo longe... um dos pinheiros ainda me segreda sossegos, na noite azul que em mim converge….
Escrever para vós é sustentar este momento certo, em palavras incertas que encenam o que já não queremos (será que alguma vez quisemos esta estranha história?), na compreensão dos fantoches do sistema, no formalismo hipócrita, tão mal desenhado na letra da lei medieval escrita pelos homens, na estupidez de seres que não passam de funcionários da vida, infelizes e apertados nos nós de gravatas cinzentas… ou será mesmo a nossa história cor de rosa… como nos contos de fadas… do príncipe no cavalo branco… ai como gostava de ser o príncipe…
Escrever para vós é o meu voo para a liberdade, na velha estrada onde nos iremos reencontrar… talvez aqui… talvez noutro planeta… noutro mundo… escrever para vós é sorrir-me por dentro de felicidade, ao recordar os momentos a roçar a eternidade que passamos, e entender que ninguém conhece a nossa verdadeira idade…
Estive, Estou e Estarei sempre aqui para Vós…


Meu Mundo

por Narciso Santos, em 27.06.17

Alguém me disse que  escrevia coisas tristes, melancólicas,  escuras (com razão), "tripla adjectivação uauuu", como se a minha alma fosse toda coberta por um denso fumo preto e que me bloqueava e não deixava transparecer outra coisa a não ser solidão e tristeza  pois.... São fases da vida....


Ando a fazer uma desintoxicação á minha alma, tentei pinta-la com as cores do arco íris e tentar por a minha vida mais colorida e acho que neste momento ela está no caminho do quadro colorido (não faltando um mês para regressar a casa), pode não ter as sete cores do arco íris  mas aos poucos vou conquistando essas cores uma a uma ate atingir o pleno, o nirvana a perfeição ...dizem que e impossível  eu respondo: Nada e impossível se lutarmos por ela...
Várias cores, vermelho, branco, amarelo.., muitos tons ... claro e calmo como todo o branco deve ser, apaixonado e efervescente como o vermelho deve ser, amarelo, luz, sol, calor... é assim as cores do meu mundo...

No meu novo novo mundo não haverá gravidade, eu me sinto muitas vezes a flutuar, como uma nuvem la no alto do céu .. não  vento nem chuva o que me remete á paz e ao nirvana.... no meu mundo  movimento, muito movimento, porque se parar morro... desloco-me nele como se visse um álbum de fotografias, sou transportado de foto em foto, de sensação em sensação  no meu mundo  pessoas(neste momento  consigo ter em minha companhia muitas pessoas boas).
 
O Problema é tão  muitos eus, "eus" feitos de "tus" que acabam por completar um eu que muitas vezes não sabe o que quer,mas ao mesmo tempo sabe e sabe como o alcançar  porque eu sou capaz, sou o que sou, chamem-me convencido ou o que quiserem  eu sei o que tenho na minha bagagem e ela cada vez mais vais aumentando...parece uma dicotomia e uma antítese estranha, mas  assim e que me consigo descrever... 

No meu mundo as memórias não passam de memórias... e o futuro será certamente brilhante, tipo um sonho em que acordamos com um sorriso na boca, um sonho bem sonhado.
No meu mundo  entra quem quer entrar,  entra quem conseguir entrar,  entra quem eu deixo entrar... os privilegiados tem acesso a este meu mundo... 

Eu entro no meu mundo. As vezes assusto-me com o que vejo, mas no fundo sorrio para ele!!!

Estranho comecei mal o dia mas sinto-me bem agora...


Memórias de um Beijo

por Narciso Santos, em 03.03.17

Minha vida é um filme.

Eu sou o riso, a luz e o fim.
Sou o coadjuvante e sou o príncipe.
Eu sou eu mesmo e sou tão louco.
Sim, eu sou feliz, e faltam cinco minutos para eu ser mais.
Sou quase poeta e sou quase a poesia.
Sou quase artista, quase estilista, sou quase santo (nome pelo menos).
Sou quase... Sou quase.
Minha vida é um filme, um circo e um livro, é um palco, é escuro, é um tgv.
Sou criança e sou tanto...
Tão pouco sei de mim... e brinco e sonho e penso e divago....Vejo mundos que não são os meus, vivo num mundo que não considero meu…

Sou adulto, sou criança, sou homem, sou humano, mas não quero ser nada disto porque também não o que quero, mas ao mesmo tempo quero tudo e não se pode ter tudo e não se consegue parar de escrever ate os dedos sangrarem e quando finalmente pararmos nada do que escreveremos fará qualquer sentido, mas ao se entranharem em nós alguns podem retirar sentido destas frases soltas, palavras, carateres....

É algo mais para preencher espaço aqui....


Voo

por Narciso Santos, em 19.01.17

Fonte: https://s-media-cache-ak0.pinimg.com/236x/b8/07/17/b807173c3b7f049d8747d3f957647b8c.jpg

Voo. Mesmo com as asas magoadas e feridas. Não encontro local onde pousar e por isso continuo a voar. Cada vez mais alto. Cada queda dói mais do que a anterior, porque por detrás dessa queda há tantas outras acumuladas em si mesmas e que ainda doem. Mas não passo pela vida a planar. Isso não. Isso não consigo. Isso não sou eu. Gosto de sentir o vento frio, o temporal, de me enfiar dentro do nevoeiro espesso à procura de algo indefinido. Persigo o sol que encandeia o olhar. Voo de asas feridas. De olhos vendados. Voo, mas não plano. Isso não. Isso não sou eu. Nem quero ser…


Odeio - Amo

por Narciso Santos, em 09.01.17

 

"In my sick way I want to thank you for holding my head up late at night While I was busy waging wars on myself, you were trying to stop the fight"...

Por vezes, perguntam o que é isso quando digo "escolhes aquilo que queres ser" ou outra frase parecida…

Neste meu caso, posso afirmar que "Eu sou uma pessoa que odeia"! O que é que isto tem de mal?...Nada! Não tem nada de mal! Eu (ou qualquer outra pessoa) odeia, porque "escolheu ser assim", neste momento do agora. Assim como há pessoas que escolhem ser "pessoas que amam"...

Acho que não há nada de extraordinário nisto, e todos percebemos isto.

O que, da minha parte, posso acrescentar é também simples.

Somos livres para escolher a nossa maneira de estar na vida! Tu amas, estás dependente desse amor, não consegues esquecê-lo, precisas desse amor…

Como pessoa, como ser humano, não te afirmas como manifestação livre e plena, bela e entusiasmante, dona dum "mundo" para se expandir e empolgar e gozar...

Mas, o que escolhes "é aquilo que tu és"! Disso não poderás duvidar… nem poderás fugir… enquanto assim o desejares.

Odeia e ama, ama e odeia!

Mas, faz um favor a ti mesmo: por um instante, "olha" para dentro de ti, na quietude do teu quarto, da tua cama, e pergunta-te se é "isso" que melhor serve o "Amor" que és!

Se "sentires" que a resposta é "o que estás a ser", tudo bem, continua!

Mas... se sentires "que, no fundo, não é isso que te faz bem", então... impõe-Te e Sê "outra versão de ti"! Uma que seja mais plena e grandiosa!

É essa que te conduzirá à felicidade desejada!...

O Odeio e o Amo é um vício...

Prefiro usar a frase: Odeio-te porque te Amo...

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Favoritos