Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Escrevo

por Narciso Santos, em 30.04.19

Escrevo porque gosto muito dos palavrões (ou conforme-lhe gosto de os apelidar, meras forças de expressão)
Escrevo para me escrever
Escrevo para passar o tempo
Escrevo porque tenho um blogue
Escrevo porque ainda tenho tinta na caneta
Escrevo para abrir feridas que pensava estarem fechadas
Escrevo porque não me consigo explicar
Escrevo por sonhar acordado e viajar no abstracto e no improvável
Escrevo por necessidade
Escrevo para gritar, para me libertar, para me aprisionar
Escrevo por odiar
Escrevo por tudo, por nada, por alguém, por ninguém
Escrevo para ocupar tempo, por não ter tempo
Escrevo para fugir deste mundo, para entrar neste mundo, para criar o meu mundo
Escrevo para soltar feras, demónios no armário se os tiver
Escrevo para me seduzir e me encantar ou encantar
Escrevo porque sou racional e consigo escrever
Escrevo para ser
Escrevo irracionalidades
É por isto que escrevo
E por muito mais que fica comigo...


Escrevo!!!

por Narciso Santos, em 26.03.18

Escrevo para ti, para nós para vós… Quase utilizei todos os pronomes existentes… Sim porque não escrever para o Mundo…
Aqui estou eu despido das minhas armas, da minha armadura, das minhas camadas, das minhas personalidades e somente Eu me escrevo. Não os eus feitos de tus de outrora mas sim o verdadeiro Eu…
Porque escrevo? Boa questão. Talvez por ser um Homem pequenino neste mundo enorme… Talvez porque afinal não sou tão forte como sei que não sou, mesmo dando essa imagem de inquebrável, talvez por estar um dia completamente terrível, me escondo (sim tenho que escrever em português do Brasil) no seio dos cobertores e entre as almofadas para tentar não ouvir a fúria da mãe natureza… Não sei… Pelo menos vai saindo caracteres que se irão tornar em frases…
Eu escrevo, escrevo as palavras que nunca querem ouvir, as palavras que nunca vos consigo dizer (normalmente é sempre esta opção). Eu escrevo tudo aquilo que o meu coração grita e o meu sorriso tenta silenciar. Eu tremo. Eu choro. Eu escorrego. E eu caio…
Talvez por ser um sonhador… Talvez por querer mudar o mundo… e acredito que não é preciso muito, bastam pequenos gestos, pequenas coisas. Ok Sonhador… Foda-se mas ao menos sei sonhar… Chamem-me sonhador… Pode ser que a sonhar possa ser o Herói que almejo, pois nos meus sonhos quem manda sou eu… ainda…
Sou muito menos do que aquilo que vocês dizem que sou, mas talvez mereça muito mais do que aquilo que acham. E aqui vou vos amando… Distante… Mas sempre presente, não como queria mas como posso. Aqui, longe de vós, “perdido” entre recantos deste meu mundo e os becos do meu coração, eu escrevo tudo aquilo que nunca sou capaz de vos dizer cara a cara, aquilo que eu nunca me permito dizer, não de forma propositada mas porque não sei ser de outra forma, talvez a minha maior virtude/defeito…
Pinto os meus sonhos, ponho um sorriso e assim continuarei a viver sempre na esperança que tudo se resolva, que consiga ser o vosso Herói. Eu escrevo, e escrevo.. .
Estou aqui… sempre com as minhas raízes presentes… sempre com vós… e escrevo…
Escrever para vós é desnudar todos os bosques, onde pinheiros bravos crescem na aridez do solo. Onde sombras na noite escura passam… onde neste momento se encontra a tempestade a pinto de bonança… já não sou eu, que estou mergulhado na escuridão, na tempestade... há muito que vos reencontrei… mesmo longe... um dos pinheiros ainda me segreda sossegos, na noite azul que em mim converge….
Escrever para vós é sustentar este momento certo, em palavras incertas que encenam o que já não queremos (será que alguma vez quisemos esta estranha história?), na compreensão dos fantoches do sistema, no formalismo hipócrita, tão mal desenhado na letra da lei medieval escrita pelos homens, na estupidez de seres que não passam de funcionários da vida, infelizes e apertados nos nós de gravatas cinzentas… ou será mesmo a nossa história cor de rosa… como nos contos de fadas… do príncipe no cavalo branco… ai como gostava de ser o príncipe…
Escrever para vós é o meu voo para a liberdade, na velha estrada onde nos iremos reencontrar… talvez aqui… talvez noutro planeta… noutro mundo… escrever para vós é sorrir-me por dentro de felicidade, ao recordar os momentos a roçar a eternidade que passámos, e entender que ninguém conhece a nossa verdadeira idade…
Estive, Estou e Estarei sempre aqui para Vós…
Ciso Out


Escrevo!

por Narciso Santos, em 18.07.17

Escrevo para ti, para nós para vós… Quase utilizei todos os pronomes existentes… Sim porque não escrever para o Mundo…

Aqui estou eu despido das minhas armas, da minha armadura, das minhas camadas, das minhas personalidades e somente Eu me escrevo. Não os eus feitos de tus de outrora mas sim o verdadeiro Eu…·Porque escrevem? Boa questão. Talvez por ser um Homem pequenino neste mundo enorme… Talvez porque afinal não sou tão forte como sei que não sou, mesmo dando essa imagem de inquebrável, talvez por estar um dia completamente terrível, me escondo (sim tenho que escrever em português do Brasil) no seio dos cobertores e entre as almofadas para tentar não ouvir a fúria da mãe natureza… Não sei… Pelo menos vai saindo caracteres que se irão tornar em frases…
Eu escrevo, escrevo as palavras que nunca querem ouvir, as palavras que nunca vos consigo dizer (normalmente é sempre esta opção). Eu escrevo tudo aquilo que o meu coração grita e o meu sorriso tenta silenciar. Eu tremo. Eu choro. Eu escorrego e Eu caio…
Talvez por ser um sonhador… Talvez por querer mudar o mundo… e acredito que não é preciso muito, bastam pequenos gestos, pequenas coisas. Ok Sonhador… Foda-se mas ao menos sei sonhar (isto soa um pouco a Tony Carreira)… Chamem-me sonhador… Pode ser que a sonhar possa ser o Herói que almejo, pois nos meus sonhos quem manda sou eu… ainda…
Sou muito menos do que aquilo que vocês dizem que sou, mas talvez mereça muito mais do que aquilo que acham. E aqui vou vos amando… Distante… Mas sempre presente, não como queria mas como posso. Aqui, longe de vós, “perdido” entre recantos deste meu mundo e os becos do meu coração, eu escrevo tudo aquilo que nunca sou capaz de vos dizer cara a cara, aquilo que eu nunca me permito dizer, não de forma propositada mas porque não sei ser de outra forma, talvez a minha maior virtude/defeito…
Pinto os meus sonhos, ponho um sorriso e assim continuarei a viver sempre na esperança que tudo se resolva, que consiga ser o vosso Herói. Eu escrevo, e escrevo.. .
Estou aqui… sempre com as minhas raízes presentes… sempre com vós… e escrevo…
Escrever para vós é desnudar todos os bosques, onde pinheiros bravos crescem na aridez do solo. Onde sombras na noite escura passam… onde neste momento se encontra a tempestade a pinto de bonança… já não sou eu, que estou mergulhado na escuridão, na tempestade... há muito que vos reencontrei… mesmo longe... um dos pinheiros ainda me segreda sossegos, na noite azul que em mim converge….
Escrever para vós é sustentar este momento certo, em palavras incertas que encenam o que já não queremos (será que alguma vez quisemos esta estranha história?), na compreensão dos fantoches do sistema, no formalismo hipócrita, tão mal desenhado na letra da lei medieval escrita pelos homens, na estupidez de seres que não passam de funcionários da vida, infelizes e apertados nos nós de gravatas cinzentas… ou será mesmo a nossa história cor de rosa… como nos contos de fadas… do príncipe no cavalo branco… ai como gostava de ser o príncipe…
Escrever para vós é o meu voo para a liberdade, na velha estrada onde nos iremos reencontrar… talvez aqui… talvez noutro planeta… noutro mundo… escrever para vós é sorrir-me por dentro de felicidade, ao recordar os momentos a roçar a eternidade que passamos, e entender que ninguém conhece a nossa verdadeira idade…
Estive, Estou e Estarei sempre aqui para Vós…


Escrevo para Ti!

por Narciso Santos, em 17.01.17

Fonte: http://24.media.tumblr.com/tumblr_lzk3ffUSgx1qgkrqfo2_500.jpg

ESCREVO PARA TI...Para que juntos possamos rir das minhas loucuras, sorrir dos meus devaneios, chorar das minhas tristezas e deixar cair as lágrimas que queimam o sorriso nos momentos de alegria intensa...Quero escrever para ti! Há momentos em que me questiono se estarei no caminho certo: Quantos momentos e quantos caminhos? Para uns vale a viagem, para outros a meta...Importa-me saber que chegarei a um porto seguro, mas a jornada deve ser tida em conta. Mais importante chegar ao lugar certo através do caminho errado? Não chegar a lugar nenhum mesmo estando no caminho certo? Não que a normalidade me irrite: intriga-me! Continuo a questionar-me sobre todos os pseudo normais que fingem ter uma vida normal, rir do banal e chorar da dor quando, na realidade (e na escuridão) são movidos pela loucura! Fingir é o que me intriga, porque a loucura pode ser tão saudável se esquecermos que temos de ser normais!Porque hoje é um bom dia para começar a ser louco...Um dia, como todos os outros, mas que eu resolvi seria diferente! Assim sendo, hoje é o meu dia: um novo começo, uma nova luz, um novo olhar...Basta acreditar! E eu, eu acredito, cada vez mais, que “a beleza do Mundo está nos olhos de quem a vê!” A vida pode ser maravilhosa, ou não?

Ouço a multidão em silêncio

Vejo um reflexo que me mente

Sinto os indeléveis sorrisos

Na boca de quem não sente

 

Tu sabes bem, que eu já to disse, que a minha vontade é nunca dormir não quero perder um minuto que seja com os olhos fechados mas o tempo que passa converte em sono opressivo a dor do stress e a irritação da angústia e a paz sobrevém, então...


Para Ti

por Narciso Santos, em 02.01.17

ESCREVO PARA TI...Para que juntos possamos rir das minhas loucuras, sorrir dos meus devaneios, chorar das minhas tristezas e deixar cair as lágrimas que queimam o sorriso nos momentos de alegria intensa...Quero escrever para ti! Há momentos em que me questiono se estarei no caminho certo: Quantos momentos e quantos caminhos? Para uns vale a viagem, para outros a meta...Importa-me saber que chegarei a um porto seguro, mas a jornada deve ser tida em conta. Mais importante chegar ao lugar certo através do caminho errado? Não chegar a lugar nenhum mesmo estando no caminho certo? Não que a normalidade me irrite: intriga-me! Continuo a questionar-me sobre todos os pseudo normais que fingem ter uma vida normal, rir do banal e chorar da dor quando, na realidade (e na escuridão) são movidos pela loucura! Fingir é o que me intriga, porque a loucura pode ser tão saudável se esquecermos que temos de ser normais!Porque hoje é um bom dia para começar a ser louco...Um dia, como todos os outros, mas que eu resolvi seria diferente! Assim sendo, hoje é o meu dia: um novo começo, uma nova luz, um novo olhar...Basta acreditar! E eu, eu acredito, cada vez mais, que “a beleza da vida está nos olhos que quem vê”…

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2021
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2020
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2019
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2018
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2017
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2016
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D

Favoritos