Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Eu... Tu...

por Narciso Santos, em 08.07.18

"Passeio sozinho, por uma cidade já quase adormecida.. sou apenas mais uma pessoa incógnita que deambula por ruas estreitas e pouco iluminadas... Esta noite não consegui dormir, decidi passar a noite na rua.. procurando algo que julgo ter perdido á tempo de mais... Busco a minha identidade, busco aquele brilhar que desistiu de me iluminar.. já nem eu me lembro bem... Sinto-me um sem abrigo.. vivendo num banco de jardim.. conhecendo todas as ripas, rijas e frias, em que me deito todas as noites..."

 

(...)

 

Não quero mais escrever sobre coisas tristes... procurando nos meus textos empatias descartáveis.. sentimentos momentâneos...

 

Estou perturbado.. novamente esta instabilidade que me faz apagar e re-escrever frases pseudo-sinceras que instantaneamente concordo e discordo, a escrita não flui, a mente num conflito em busca de um estado de espirito mais estável...

 

Gostava de vos escrever coisas bonitas.. gostava de vos ser sincero.. gostava de ser sincero comigo...

 

Gostava de poder acabar este texto com uma frase inteligente profunda.. que vos fizesse pensar e me deixa-se orgulhoso pela sua criação...

 

Mas há noites, em que apenas consigo receber... há noites em que só penso num beijo, noites em que a ausência de afecto parece incomodar mais...

 

"Já não existe mais um TU nas minhas frases, apenas a ausência de um EU!"


Limites, fragilidades!!!

por Narciso Santos, em 08.07.18

Não sabes sempre tudo. Nem sempre as palavras querem dizer sentimentos. E nem os sentimentos que pensamos sentir são realmente nossos. São dos outros. Da forma como os vemos e os queremos ver e a sensação agradável que isso nos proporciona  E como nos habituamos a isso. Pensa bem. Nem sempre tens razão  Nem mesmo quando o teu corpo chama ansioso pelo meu e em questão de segundos o desmancha. Mesmo que eu caia e aceda a todas as tuas loucuras. Nem sempre e por amor a ti. E por mim. Para testar os meus limites. Que sei cada vez mais frágeis em relação a ti. Afinal... no fim das contas, talvez acabes por teres razão .. gosto demasiado de ti. 


Sozinho

por Narciso Santos, em 08.07.18

Porque sim. porque a estrada e comprida. e e de noite. não conheço o Caminho e não sei ler mapas nem decifrar códigos  sei de ti que não estas aqui, sei de mim que continuo em frente. corto as curvas e sigo as cegas. porque me procuro sem te procurar. porque  não me entendo. caio, tropeço  e  não sei nada. sozinha. porque sim. porque tem mesmo de ser. e o único caminho que conheço

"Se nao te deste a ninguem...magoaste alguem..."- Carta, Toranja


Instável

por Narciso Santos, em 08.07.18

Não me sinto bem, isso e certo. Estou com problemas solúveis, mas o facto de eles surgirem deixou-me deprimido, a juntar a isso o frio e o facto de estar debilitado fisicamente... Bem se calhar sou mais um menino que precisa de mimos...

"Procuro por mim, dentro da caixa dos sonhos, escondida no sótão por de trás de um espelho... o espelho mostra-me uma imagem triste, uma pessoa cans...ada, um rapaz que perdeu os sonhos, mas procura os encontrar de novo."

"O vento bate no meu rosto, o frio faz-se sentir, queria tanto ter um sonho, pegar nele e voar, seguir no comboio que para em todos os apeadeiros, tocar na terra fresca e barrenta, queria sentir-me bem."

"Amanha, vai chover, limpar as ruas desta cidade melancólica, amanha as janelas estarão fechadas. e não se ouvirão os sorrisos dos putos que jogam a bola."

"Mergulhei a cabeça na água, gritei, soltei a minha raiva, vivi o momento... Morri"


Não

por Narciso Santos, em 08.07.18

Não vou escrever bonito, pois não sei... não é para vocês lerem bonito, pois também nem sei se me importo se lêem ou não (apesar das minhas 2 visitas ao blog)... não é para lerem! É para não lerem... para imaginarem um texto... um texto que vocês quereriam escrever, e que achem que iriam gostar de ler... não estou louco (hoje infelizmente)... não vivo a vida como se fosse um quadro pintado por um menino de 4 anos... (às vezes sou muito mentiroso)...

- - - -

Descrevo um beijo quente... intenso, em que a textura dos teus lábios me excita... mas nunca beijei... sou uma mentira... os sonhos não são desculpas... Vivo as histórias de amor de outros... sinto dor por eles! Sou contra o amor, porque não consigo amar nem ser amado, não consigo cumprir a regra que surge em todos os livros de romance, por isso sou contra o amor, e contra todos aqueles que são felizes... sou a favor da dor, de dor percebo eu... gosto de ver as pessoas chorar! Novamente reitero que sou muita mentiroso...

Não sou diferente! Sonho com o Amor, mesmo sem saber o que ele é.. quero alguém por querer por possuir, não gosto de ninguém, nunca amei nem vou amar... porque sim! E ninguém me dirá o contrário... ninguém chegará perto de mim com os olhos a brilhar como os meus já brilharam, e me dirá - Quero puder abraçar-te sempre que precises de mim, sempre! - Quem o fizer, mais do que mentir a mim, está a mentir a si mesmo!

Não me contem historias, não me dêem esperanças... para lunático, sonhador basto eu, que sonho acordado sempre que cheiro o perfume dela... Sempre que sinto o calor dos seus lábios na minha cara...

 

Sonhador? Mas ao menos sei sonhar... (Tony Carreira)

 

Fui!


Foste, És, Serás!!!!

por Narciso Santos, em 08.07.18

Imagina um pequeno barco de papel a flutuar num lago calmo de águas geladas... ao sabor do vento vai flutuando lentamente, afastando-se das margens... ficas parado olhando atentamente para a rota que o barco faz, sentes que o barquinho poderia viajar milhas sem fim, enfrentando tempestades, combatendo a solidão...

Imagina um deserto de areia fina e branca.... imagina-te deitado sobre a areia quente , queres que te oiçam, queres contar o que se passa contigo... mas estás só, porque correste, fugiste sem parar para longe, onde ninguém te conseguisse magoar... tens medo de voltar

Na verdade, apenas queres ter alguém...

Preferiste a distancia, ao conflito... agora estás só e custa-te voltar...

É enorme o vazio que eu descobri dentro de mim

Existem dias em que eu não me importava de desaparecer...


Sonho!

por Narciso Santos, em 08.07.18

Todas as noites fico sozinho... entregue a mim e a uma música melancólica que toca vezes sem conta... Sinto-me triste, frágil, estou carente. Imagino como seria se te tivesse a meu lado, quando apenas tenho vontade de morrer! Noite após noite, quando fico assim sozinho penso em ti, em como seria se me conhecesses, como seria se os nossos lábios se tocassem por um momento... sei que dramatizo sei que este mau estar não passa de um romantismo exagerado, criado por uma imensa necessidade de atenção...

Todas as noites fico sozinho, choro por dentro, pinto um arco-íris em tons de preto e branco, percorro uma praia deserta, que me atira à cara sobre a forma de brisa toda a minha solidão... mostra-me todo o vazio que existe dentro de mim... Olhando para as minhas mãos, imagino os meus dedos a tocar nos teus labios, sentido aquela textura sensual. Sei que penso de mais... Sei que gostarias de me amar, sei que seria lindo...

Todas as noites fico sozinho, esperando que o sono venha, e que me traga os sonhos, em que eu me alimento, tornando-me a cada dia cinzento mais dependente, sustento assim uma doença. Quero viver e tornar os meus sonhos reais, quero sonhar para esquecer a dureza do mundo... no fundo só te quero a ti... a meu lado quando... quando já nem o nós existe... Apenas...


Sei lá!!!!

por Narciso Santos, em 08.07.18

As pessoas são complicadas de se sentirem.

Fechado num mundo criado por mim, anseio por quem se queira aventurar nele, e pegue em mim e me traga cá para fora. Recebi mensagens que vieram naufragando dentro de uma garrafa, chegando á costa trazida pelo o mar do amor. É duro a vida de recluso, fechado num mundo criado por mim que eu conheço e amo, gostava que pelo menos quando me sinto mais só, tivesse quem me desse a mão, que me afagasse o cabelo.

Dói mais quando eu estando tão perto da realidade consigo sentir o outro mundo, grito. Grito até ficar sem forças... ouvem-se gemidos do outro lado que são prontamente ignorados...

 Desculpem... eu amo de mais.


Deus! Quero o Livro de Reclamações!

por Narciso Santos, em 03.07.18

Deus, tens livro de reclamações?

Pois muito bem, dá cá isso, se faz favor, porque eu quero reclamar por escrito É um direito que me assiste! Reclamar, opinar, dar sugestões, agir, mudar as coisas para melhor.
Eu vou mudar, sabes? Vou esquecer-te, vais ter uma surpresa! Não faças essa cara, porque já me conheces bem, e tal, e sabes, com certeza (melhor do que eu) o porquê de toda esta minha revolta. Só para que saibas, estou chateadíssimo contigo.
Eu que acreditei nas tuas parábolas e fiz tudo o que pedias. Fui à missa comungar, aprendi o credo em cruz, de joelhos rezei pelos teus desgostos. Tínhamos um acordo, lembras-te? Tu, que fizeste? Tu traíste-me! No meio dessa omnipresença , não vês o mundo díspar e tão injusto? Dás tudo a uns e aos outros? Esqueces-te comó caralho caraças!
Onde é que está a perfeição da tua obra? A gente sofre. Andamos todos aqui a penar. Olha para mim. Estas olheiras. O tempo urge e o relógio é quase tão castigador quanto tu.
Tu? Quem? Quem és tu? Onde estás? Tantas escritas por linhas tortas que já não sei… O que eu sei, é que isto aqui em baixo está negro e sombrio. Aonde é que andas? Deves estar na Net. Exijo explicações.
Nem te atrevas a fingir-te offline. Conheço-te as manhas todas, meu caro. Já fomos amigos. Deduzo que te dê prazer fazer estes joguinhos bizarros. Vais deixar vencer os maus e tramar os outros? Estás perito nesse imbróglio, meus parabéns.
-Ai, não digas isso que Deus castiga! - Mais?
O Zé, não tem trabalho. A Julia, perdeu a casa. Na televisão desemprego. Crise. Imigrante - Bocas famintas. Lágrimas aflitas. Mãos vazias. Guerras!!! E tu, o que estás para aí a murmurar? O quê?
Não venhas agora dizer-me que a culpa é nossa e mais não sei, que Marx avisou e tal, o capitalismo da economia global ruiu porque fomos gananciosos e corruptos e que tudo está interligado pela interdependência comercial e financeira, porque esse “nós” está mal empregue. Não fomos nós todos. Foram alguns. Alguns dos que tu deixas andar por aí a fazer cagada asneira. Com mil diabos! Sabes perfeitamente do que eu estou a falar.
Não julgues que já esqueci aquela cena do Hitler, que essa é difícil de engolir. Poderia até dar-lhe um título sugestivo, se me permites – “A Piece of Shit Made by Good”- Vergonha. Calamidade. Extermínio. Cinco milhões de Inocentes.
Judeus? São pessoas iguais a mim. Que diferença faz? Ser-se judeu, ateu, ser negro, branco, amarelo ou ter no corpo a cor que eu tatuar? Não somos todos seres humanos? As nossas dores não são as mesmas? Se tu quisesses…Sim, Se tu quisesses, tinhas limpo o sebo àquela besta quadrada, num instante. Mas aí, descias ao nível do sacana.
Pois, pois, desculpas. Lá estás tu a dar-me a volta ao pensamento! Que mania!
E a Joana Sousa? Qur precisa de medula. A Joana é um anjo. Queres mais um? Patife!
Esse teu livro existêncial está up side down, só pode. Aproveita e risca aí o meu nome. Black list: Ciso. Muito agradecido.
Não ouves as notícias? Não intervéns? Não fazes nada? Para quê? Para nada, bebé, deixa-te estar. Take it easy. No âmago do teu paraíso é que tu ficas bem. Fatinho branco. Muita candura. Olhar azul. Sem stress, no topless. Rica poltrona, sim senhor. A luta é para nós, os pobres coitados mortais dum raio que, supostamente, os inventou. No fundo, fantoches. Salve-se quem puder! Não te fies na virgem, senão chinam-te todo. Tormentos. Multas e adultérios. Assaltos e bombas. E não há-de a Humanidade andar de trombas? Dinheiro. Poder absoluto. Deixa queimar. Eles que se amanhem que eu cá sou Deus!
O quê? Repete lá, estou "meio mouco" com os teus zumbidos. Está nas nossas mãos? Dizes tu! O socialismo defende a repartição da riqueza e mais não sei quanto. Achas que a gente sabe? Nós sabemos lá as verdadeiras intenções dos políticos que elegemos ou dos outros que são eleitos. Quem é que adivinha que o poder lhes muda os valores? Tu é que sabes tudo! Tu é que és o Deus Universal. Fazem-se guerras e templos pomposos de esmolas em teu nome, é verdade. Vestem-se de dinamite, andam de joelhos a rastejar, vão a pé não sei para onde. Fazer as pazes com o vizinho é que não dá jeito nenhum. O vizinho que se lixe, que eu também tenho o meu orgulho bem regado. As missas pelas almas dos defuntos rendem ao Padre "dia de fim de semana" uma pipa de massa e duas de vinho tinto na homilia. Rezas e cruzes. Muita ladainha. Lutam contra o pecado da prevaricação e do vício. Matam-se antes e depois de matar os outros. Dizem que é por ti, pela salvação, blá blá, amén, Hare krishna Hare, o Pathos que mantém a humanidade tolhida! Como não te pronuncias, acredito que concordes com tamanha estupidez. Enfim, estou cansado! Tu não te cansas? Tanto credo, tantas mortes, tanta dor, tantos lamentos? Culpa nossa? Culpa tua! Deixas-te o filho pródigo pregado na cruz. Ainda te achas capaz de fazer milagres? Sabes que mais? Vou tentar ali na outra secção. Pode ser que lá encontre algum Diabo que se encarregue de impor a ordem Mundial.
P.S. Não te adianta ires ao meu perfil do Facebook coscuvilhar. Não me arrependo.

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos