Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Colo!

por Narciso Santos, em 28.03.18

"Conta-me ao ouvido, se hoje a luz te veio visitar, ou se foi mais um dia sentado em frente a uma porta que te impede de ver o que se passa na rua..." Quatro tábuas que me impedem de ser iluminado, quatro tábuas que já me roubaram lágrimas, já me feriam as mãos, ao ponto de me fazer parar de escrever. Tenho os ombros negros, os dedos em sangue de lutar contra esta porta, será mais uma porta sem chave, ou a porta que só se abrirá quando só a escuridão restar lá fora... Sentado entregue a perguntas, que mais do que curiosidade, tenho medo de conhecer as respostas... vivo numa dança com o escuro e com os poucos raios de luz que penetram a porta... Lamentos, penso eu... mais e mais lamentos... mas a vontade é de gritar em voz alta... VAI PARA O CARALHO! Encontro formas românticas... bonitas de maquilhar sentimentos podres dentro de mim... a minha raiva transforma-se em depressão, os meus sonhos em frustração o ódio em amor... e vendo-vos estas bonitas palavras como se um romântico fosse... não estão fartos de ouvir histórias belas, contos de fadas, relatos de um apaixonado crónico, ou de um romântico depressivo que vê na escrita um colo seguro onde deitar a cabeça e finalmente chorar lágrimas que vai acumulando... Realmente... chorar faz bem. Fode-te! eu tenho um colo para chorar...


Escrevo!!!

por Narciso Santos, em 26.03.18

Escrevo para ti, para nós para vós… Quase utilizei todos os pronomes existentes… Sim porque não escrever para o Mundo…
Aqui estou eu despido das minhas armas, da minha armadura, das minhas camadas, das minhas personalidades e somente Eu me escrevo. Não os eus feitos de tus de outrora mas sim o verdadeiro Eu…
Porque escrevo? Boa questão. Talvez por ser um Homem pequenino neste mundo enorme… Talvez porque afinal não sou tão forte como sei que não sou, mesmo dando essa imagem de inquebrável, talvez por estar um dia completamente terrível, me escondo (sim tenho que escrever em português do Brasil) no seio dos cobertores e entre as almofadas para tentar não ouvir a fúria da mãe natureza… Não sei… Pelo menos vai saindo caracteres que se irão tornar em frases…
Eu escrevo, escrevo as palavras que nunca querem ouvir, as palavras que nunca vos consigo dizer (normalmente é sempre esta opção). Eu escrevo tudo aquilo que o meu coração grita e o meu sorriso tenta silenciar. Eu tremo. Eu choro. Eu escorrego. E eu caio…
Talvez por ser um sonhador… Talvez por querer mudar o mundo… e acredito que não é preciso muito, bastam pequenos gestos, pequenas coisas. Ok Sonhador… Foda-se mas ao menos sei sonhar… Chamem-me sonhador… Pode ser que a sonhar possa ser o Herói que almejo, pois nos meus sonhos quem manda sou eu… ainda…
Sou muito menos do que aquilo que vocês dizem que sou, mas talvez mereça muito mais do que aquilo que acham. E aqui vou vos amando… Distante… Mas sempre presente, não como queria mas como posso. Aqui, longe de vós, “perdido” entre recantos deste meu mundo e os becos do meu coração, eu escrevo tudo aquilo que nunca sou capaz de vos dizer cara a cara, aquilo que eu nunca me permito dizer, não de forma propositada mas porque não sei ser de outra forma, talvez a minha maior virtude/defeito…
Pinto os meus sonhos, ponho um sorriso e assim continuarei a viver sempre na esperança que tudo se resolva, que consiga ser o vosso Herói. Eu escrevo, e escrevo.. .
Estou aqui… sempre com as minhas raízes presentes… sempre com vós… e escrevo…
Escrever para vós é desnudar todos os bosques, onde pinheiros bravos crescem na aridez do solo. Onde sombras na noite escura passam… onde neste momento se encontra a tempestade a pinto de bonança… já não sou eu, que estou mergulhado na escuridão, na tempestade... há muito que vos reencontrei… mesmo longe... um dos pinheiros ainda me segreda sossegos, na noite azul que em mim converge….
Escrever para vós é sustentar este momento certo, em palavras incertas que encenam o que já não queremos (será que alguma vez quisemos esta estranha história?), na compreensão dos fantoches do sistema, no formalismo hipócrita, tão mal desenhado na letra da lei medieval escrita pelos homens, na estupidez de seres que não passam de funcionários da vida, infelizes e apertados nos nós de gravatas cinzentas… ou será mesmo a nossa história cor de rosa… como nos contos de fadas… do príncipe no cavalo branco… ai como gostava de ser o príncipe…
Escrever para vós é o meu voo para a liberdade, na velha estrada onde nos iremos reencontrar… talvez aqui… talvez noutro planeta… noutro mundo… escrever para vós é sorrir-me por dentro de felicidade, ao recordar os momentos a roçar a eternidade que passámos, e entender que ninguém conhece a nossa verdadeira idade…
Estive, Estou e Estarei sempre aqui para Vós…
Ciso Out


Sentido! "sen" tido!!!

por Narciso Santos, em 23.03.18

 

"you move like I want to 

to see like your eyes do 

we are downstairs where 

no one can see 

new life break away 

tonight I feel like more" 

Sinto-me perdido, como se não soubesse como me devo sentir, simplesmente vivo na apatia... perdido entre sentimentos de alegria e tristeza... mas afinal eu devo estar feliz ou triste??? Afinal, que fase é esta por que estou a passar. Garanto-vos que é pouco criativa, resume-se a uma paralisia de pensamentos, como se fosse um menino autista... Sinto-me tão fora deste mundo... O meu mundo! O meu mundo está parado, mas não fui eu que carreguei no pause... eu queria um simples play á velocidade normal... só queria viver e seguir em frente... Sinto-me mal, sinto-me desconfortável comigo mesmo, como se eu pudesse mudar... não sei que personalidade adoptar... será que estou perante mais uma das inúmeras mini-crises existenciais... Nada faz sentido. 

 

O sentido das coisas, 

sempre que o procuramos, 

estamos mais perto de não saber nada, 

de alcançar a ignorância. 

O sentido das coisas sem sentido, 

o sentido do amor, 

o sentido do fogo... 

Mas no fundo nada faz sentido.. 

só o que eu sinto... 

só o que eu sinto é sentido... 

e tu Sentes sem sentido?


Ego / Conv!!!

por Narciso Santos, em 07.03.18

"Hoje e diferente de todos os outros dias... quero obrigatoriamente escrever... é natural que acabe por discutir comigo mesmo, pois não gosto nada que me "obriguem" a fazer qualquer coisa que eu não estou disposto... bem, este já não é o primeiro pensamento que escrevo... e como em tudo o que eu faço, odeio repetir-me. Repetir significa que estou sem criatividade, estou a fazer algo já pensado... Por vezes saem coisas lindas... mas o problema nem é a beleza dos textos... estou mais preocupado com ... o meu bem estar... Egocêntrico e Convencido??? Cada vez acredito menos... Passaram anos a marterizar-me que eu era egocêntrico e convencido que só pensava em mim. Agora que eu decidi assumir que sou egocêntrico e convencido, surgem novas pessoas a contrariar-me. 

Será que sou eu que tenho esta mania de estar do contra... ou sei lá, o mundo está sempre virado ao contrário e contra mim?

Volto mais tarde com outro espírito...


"Puxar pelos Galões"

por Narciso Santos, em 04.03.18

Captura de ecrã 2018-03-04, às 17.32.09.png

As pessoas são difíceis de se sentirem... Quando alguém sente necessidade de “puxar pelos galões” ai e tal sou doutor; ai e tal sou director disto ou aquilo, tenho isto e aquilo.... etc... Este tipo de pessoa é completamente insegura de si e com um défice grave em auto-estima.... ***Pois só puxa de galões quem não tem um "Caralho"..., pois quem é Seguro de Si não precisa dessa merda para nada! Tudo se aprende nesta vida basta querermos (educação; cultura; etc...) Mas um idiota será sempre um idiota, este infelizmente é um facto que não se pode mudar!

 

*** https://24.sapo.pt/atualidade/artigos/antonio-coimbra-de-matos-so-puxa-dos-galoes-quem-nao-tem-c-quem-e-seguro-de-si-nao-precisa-disso-para-nada

 


Memórias de “Um Xinês 2”

por Narciso Santos, em 28.02.18

Depois da pancada e abertura do meu crânio, na minha vida tudo mudou... e lá estava o Xinês para tornar esta mudança da pior maneira possível. Havia no nosso tempo os míticos momento dos discos pedidos, não nada de Onda Viva mas sim na Rádio Cidade às 2 da manhã...

Xinês lá liga para a rádio e pede a música “lamp” dos Presidents of United States... Agora imaginem um Xinês/Caxineiro a pedir tal música a um tipo da rádio brasileiro... eu só me lembro de ouvir muitos “Oi?”... qual banda? “Oi?”, qual grupo? “Oi?”... dedicatória para a Malta Maltinha e para o “Juvena ou Mesquita que é um gajo fixe”. Resposta do locutor, “porra isto é mesmo coisa de Xinês”... Espero que ainda tenhas a K7 deste pedido bem como a versão da rádio cidade, uma cena tipo Vasco Palmeirim de algo do género“ vem pegar lo avion and chupé mon salchixon “... uma versão da música francesa “Je t'aime... moi non plus" - Canção de Jane Birkin e Serge Gainsbourg!

Foi nesta fase que comecei a gostar dos músicos sertanejos do brasil e “pimba” portuguesa...

Já viste meu em duas recordações como a minha vida mudou??

Deveríamos nos encontrar mais vezes “num gole de uma cerveja”!

 

Xinês!
 
Grande Ciso quero te informar que infelizmente já não há K7, ficou apenas a memória, a memória de um ritual, em que chegava a meter o despertador para as 2h da manhã para não correr o risco de adormecer, um ritual em que deu para descobrir que havia muitos padeiros e seguranças a pedir músicas, um ritual que era um carrossel de emoções, ia da frustração de apanhar a linha ocupada à alegria de ouvir o sinal de chamada, ia do nervosismo de estar a falar numa rádio nacional à sensação de promessa cumprida com os amigos que estavam aquelas horas, também agarrados ao rádio à espera daquele momento. É uma memória que nunca vai desaparecer por muitos anos que passem...
 Em relação à cerveja, sabes que estou sempre disponível 😘😘😘😘

Memórias de “Um Xinês 1”!

por Narciso Santos, em 26.02.18

EU!

A primeira memória/trauma que me ocorre neste momento é: como foi possível dois gajos da mesma equipa em vez de cabecear a bola... abrir a cabeça um do outro?
E lá fomos a casa da minha tia fazer um curativo, ou uma espécie de estancar o sangue pois havia Varzim x Porto nessa noite.
Lembro-me de Tu em vez de estancares o sangue abrires mais “a racha” para ver a profundidade do golpe e a minha prima quase a desmaiar (mesmo totó)!
Afinal não é uma memória mas sim um trauma...

 

Resposta Xinês Face!

 

 Passado 25 anos ainda não vi uma cena parecida no futebol 😂😂😂😂 Se houvesse comunicação na equipa, de certeza que hoje não teria uma cicatriz na cabeça 🤕🤕🤕🤕


Marginalização!

por Narciso Santos, em 15.02.18

Como poderemos dormir descansados quando o que é puro.. ou inocente é marginalizado só por não se encaixar nos padrões da normalidade. Hoje revi o filme "Eduardo Mãos de Tesoura" que me tocou especialmente... Impressionado com a realidade do filme, como uma sociedade dita perfeita consegue ser tão cruel com um ser puro inocente, diferente.

Que pureza tão bela que tens como penitência... Sofres por seres puro único especial.

Amo-te, porque no fundo sei que tu és apenas mais um reflexo de um meu eu com medo de ser posto de parte, de um meu eu que não conseguiu submergir ficando preso numa bolha de ar esquecida no mar do inconsciente. Queria ser mais puro... mas o medo de o ser atormenta-me não me deixar dormir... choro porque te Amo. Choro porque te conheço.


Bondade!

por Narciso Santos, em 30.01.18

Tenho consciência de ser autêntico e procuro superar todos os dias a minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e determina os fortes. Digo o que penso com esperança, penso no que faço com fé, faço o que devo fazer com amor. "Eu esforço-me para ser cada dia melhor, pois a bondade também se aprende!"


Ser Criança

por Narciso Santos, em 21.01.18

As vezes proponho-me a mim mesmo, no meio de longas conversas de angustia e depressão que eu tenho com a minha consciência, escrever textos que tenham o brilho de um sorriso, que tenham o calor de um abraço... Aquele texto que nos dê a sensação de uma festa que a nossa mãe nos dava quando nos magoávamos na brincadeira

Acho que a inspiração teria de surgir do meu tempo de menino, quando corria atrás de bichos-de-conta... e fazia estradas para as formigas... tive a oportunidade de passar a minha infância numa "barraca" que não era dos meus pais e mesmo assim ter passado as passas do caralho!, mesmo que nos arredores da grande metrópole, Vila do Conde, pois para mim só existia Caxinas, mesmo assim tinha acesso aqueles momentos lindos que me marcaram na infância e nunca os vou apagar da memoria, como o cheiro a terra, o cheira da erva molhada quando chovia as espigas da Srª Maria, sim roubei imensas, o campo da Dona Rosa onde Roubava as Uvas "americanas" as brincadeiras que daí advinham, como roubar figos, brincar à agricultura, subir árvores... Basicamente nesta altura com cerca de 8 anos aprendia a arte de ser ladrão, ou seja, a arte de ser político.

Agora que penso, lembro-me de tantas brincadeiras que eram feitas na companhia da solidão, acho que devo ao facto de ser filho único (mesmo tendo uma irmã que muito me mimou mesmo sendo mais nova... Carina I Love you My Sister <3 !) a minha criatividade, aprender a brincar sozinho, fazer o bom e o mau (normalmente o mau), jogar para uma equipa vencer e outra perder... a minha ganhava sempre pois nem a feijões goste de perder... isso molda a personalidade de uma pessoa.... cria sonhos, uuuiiii quantos sonhos...., cria carências... inúmeras...

Mas é no tempo de menino, que mais sonhamos, que mais ingénuos somos, que mais nos rimos, rimos de bem-estar, de um abraço dos pais, de um arroz-doce da avó, de um chupa-chupa do senhor do café, dos desenhos animados... Aqueles que todos acordavam bem cedo para os ir ver...quem não se lembrar de ficar à espera que a televisão começasse a emitir para ver os desenhos animados, com aquele fundo preto com umas listas coloridas à frente... depois tocava a musica da SIC que sabia de cor, e começava uma autentica maratona de boa disposição e grandes lições para a vida... Ao falar de séries televisivas e da minha meninice lembro-me da rua sésamo, o tanto que eu tenho a agradecer ao conde de contar e a merda dos morcegos que ele contava, meu brother Bruno Marques era exímio a imitar tal façanha, de longe o meu preferido...e as musicas como a...eu gosto de ginasticar...

Ter sido uma criança, foi das melhores coisas que me aconteceu na vida.

Assim pinto um quadro com cheiro a caramelo, e tons de um amarelo forte, igual ao sol que brilha lá fora, no pátio onde eu fui astronauta e mosqueteiro do rei, onde tudo era possível, e o bem vencia sempre...

Foda-se tenho que mudar o som do meu telemóvel do "Dragon Ball Gt" para outra coisa qualquer... Peace!

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos