Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Burocracias

por Narciso Santos, em 20.06.18

É usual acontecer... acontece demasiadas vezes... É quase certo. Vamos às finanças, à Segurança Social, vamos ao médico, a cena repete-se; quem nos atende tem mais problemas para resolver do que nós e mais pressa ainda. É sempre o mesmo tom rude no seu discurso:

- Sim? Não, não. Volte depois. Pois, também não sei.
Não sabe? Como não sabe? Devia saber informar onde devo ir, a quem me dirijo depois. Mas não, naquela secção não é e pronto. Não existe um sorriso, um:
- Posso ajudar?
Não há soluções só a burocracia de papéis para preencher. O meu grande azar é o anonimato. Não ter conhecimentos. Não dar presentes ao Sr. Doutor. Dar presentes? Ele nem devia dar consultas!
Durante todo o tempo da consulta, não olhou para mim sequer. Mas diagnosticou-me logo um eczema no ouvido médio. Fantástico! Num minuto só, descobriu-se o mal que me atormenta e nenhum exame definiu. Até é um nome giro, é caricato. Tenho um eczema, e não sabia! Porém não me passou receita:

- Ou tome benuron e intercale com brufem de 4 em 4 horas;

- Ou não há nada a fazer. Azar, a vida é assim. Próximo.

Mas como se ele nem viu o meu ouvido? Será que é bruxo? Se eu quiser também possuo o dom da vidência repentina e posso desde já assegurar que a maior parte dos médicos actuais sofrem de uma doença grave que afecta a função pública, chamam-lhe Síndrome da Antipatia. Manifesta-se de forma gradual, normalmente quem não gosta do que faz está infectado. Os sintomas são a falta de alegria, cansaço, falta de gosto. O órgão afectado é o coração que minga, atrofia e fica em pedra. Talvez a cura deste mal resida numa simples norma; tratar os outros melhor do que nos tratam a nós. Tratar o próximo com mais candura, mais empenho, eficácia e paciência. Lidar com pessoas nem sempre é fácil, sei o que digo, mas um sorriso só, às vezes cura e resolve tudo.


Quem sou?

por Narciso Santos, em 19.06.18

Sei lá eu! Não sei de mim.

Tão pouco ou nada sei dos demais.

Sou um rosto a mais no espelho posto.

Outro vulto ausente de sinais.

Um sorriso perdido entre os demais.

Quem sou eu? Fodasse!!!!

Sou só assim, pedaço solto.

Entregue num corpo exposto.

Aberto em rima pura de infinito.

Quem quer saber de mim?

Quem bem me quer prender os laços?

Conhecer esta alma plangente de "Home"?

Os meus olhos morrem pelos V/ abraços.

Quem sou? Onde vivo?

Quem quer saber?

Vivo na imensidão absorta do V/ ser.


A “leveza” do futebol

por Narciso Santos, em 18.06.18

Depois de ver a grande exibição do México frente à Alemanha posso presumir uma coisa, ou várias...

Desde a “leveza” do México que o levou a ser

mais rápido, trocar a bola, chegar à baliza, criar ocasiões de golo... Contra a “pesadez” da Alemanha em circular a bola, em ganhar a segunda bola, em correr... Foi notória a superioridade do México por isso com todo o devido direito ganhou o jogo!

Se por um lado alguns jogadores do México tiveram uma festa de despedida com 30 amigas, estranhamente os jogadores que estiveram presentes na mesma foram de longe os “mais leves”, ou seja, os melhores em campo...

Por outro lado o selecionador da Seleção Alemã proibiu o sexo durante o mundial aos seus jogadores...

Face a estas evidências posso concluir que o sexo ou a falta dele pode ser um factor muito importante no sucesso de uma equipa!!!

Sexo ou não sexo? Eis a questão!


Ti, Tu, ...

por Narciso Santos, em 13.06.18

Sempre.. nunca.. sonho paixão. 

Olhei-me no espelho... fiquei parado a olhar para dentro dos meus olhos até perceber.. que continuo apaixonado.. que continuo.. se bem que em silêncio todos os dias a subir a mesma montanha.. saltando todos os dias.. sempre com a esperança que no fim da queda.. tu possas lá estar um dia.. Posso dizer que gosto de cair.. gosto de me sentir deprimido.. Estúpida necessidade de sentir qualquer coisa.. Necessidades.. necessidade que tenho de te ver todos os dias.. necessidades de te simplesmente abraçar.. parecem ridículas.. até imperceptíveis.. mas quando estou sozinho.. no escuro do meu quarto.. quando ando de carro.. é em ti que eu penso.. talvez por não ter mais em quem pensar.. talvez.. porque ainda goste de ti.. Sinto-me bem.. Sou sincero comigo.. sou sincero contigo.. sou sincero com vocês.. Talvez um dia te esqueça por momentos.. talvez um dia tu voltes.. talvez.. os "talvezes" de hoje não tenham tanta importância amanhã... 

STOP! vamos parar todos.. fixar os olhos no infinito.. e simplesmente.. adormecer de olhos abertos.. O que vês?

Wait for it...

Wait...

19 Years!!!!

...


Frases!

por Narciso Santos, em 12.06.18

                                           Stupenda! 😍

 
Há frases que um dia lemos ou ouvimos e nunca mais saíram da nossa cabeça. Frases que nos caíram como uma luva ou como um raio, ou nos serviram direitinho como um chapéu. Há aquelas que nos marcaram por ser doces, duras ou instigantes. Há frases que entendemos muito bem; outras que não entendemos direito, mas mesmo assim desconfiamos que são muito profundas. Com algumas concordamos; outras só nos servem para mostrar do que discordamos. "Prefiro estar ao lado de um bom ateu do que de um mau cristão."

!!!???...

por Narciso Santos, em 07.06.18

Tenho-me em janelas por abrir e camas frias sem lençóis, excesso de madeira preta e fogueiras por incendiar. Há almofadas que se quedam no percurso que desconhecemos o desfecho. Há caminhos que podemos quantificar os passos como com estes sapatos. Sei muito pouco de tudo isto. Sei aliás muito pouco de tudo. Sou incompleto como o vento que sopra lá fora e me rasga a voz. É estranho e irreal, dirás. Direi que sim. Porque sim.


Colo!

por Narciso Santos, em 28.03.18

"Conta-me ao ouvido, se hoje a luz te veio visitar, ou se foi mais um dia sentado em frente a uma porta que te impede de ver o que se passa na rua..." Quatro tábuas que me impedem de ser iluminado, quatro tábuas que já me roubaram lágrimas, já me feriam as mãos, ao ponto de me fazer parar de escrever. Tenho os ombros negros, os dedos em sangue de lutar contra esta porta, será mais uma porta sem chave, ou a porta que só se abrirá quando só a escuridão restar lá fora... Sentado entregue a perguntas, que mais do que curiosidade, tenho medo de conhecer as respostas... vivo numa dança com o escuro e com os poucos raios de luz que penetram a porta... Lamentos, penso eu... mais e mais lamentos... mas a vontade é de gritar em voz alta... VAI PARA O CARALHO! Encontro formas românticas... bonitas de maquilhar sentimentos podres dentro de mim... a minha raiva transforma-se em depressão, os meus sonhos em frustração o ódio em amor... e vendo-vos estas bonitas palavras como se um romântico fosse... não estão fartos de ouvir histórias belas, contos de fadas, relatos de um apaixonado crónico, ou de um romântico depressivo que vê na escrita um colo seguro onde deitar a cabeça e finalmente chorar lágrimas que vai acumulando... Realmente... chorar faz bem. Fode-te! eu tenho um colo para chorar...


Escrevo!!!

por Narciso Santos, em 26.03.18

Escrevo para ti, para nós para vós… Quase utilizei todos os pronomes existentes… Sim porque não escrever para o Mundo…
Aqui estou eu despido das minhas armas, da minha armadura, das minhas camadas, das minhas personalidades e somente Eu me escrevo. Não os eus feitos de tus de outrora mas sim o verdadeiro Eu…
Porque escrevo? Boa questão. Talvez por ser um Homem pequenino neste mundo enorme… Talvez porque afinal não sou tão forte como sei que não sou, mesmo dando essa imagem de inquebrável, talvez por estar um dia completamente terrível, me escondo (sim tenho que escrever em português do Brasil) no seio dos cobertores e entre as almofadas para tentar não ouvir a fúria da mãe natureza… Não sei… Pelo menos vai saindo caracteres que se irão tornar em frases…
Eu escrevo, escrevo as palavras que nunca querem ouvir, as palavras que nunca vos consigo dizer (normalmente é sempre esta opção). Eu escrevo tudo aquilo que o meu coração grita e o meu sorriso tenta silenciar. Eu tremo. Eu choro. Eu escorrego. E eu caio…
Talvez por ser um sonhador… Talvez por querer mudar o mundo… e acredito que não é preciso muito, bastam pequenos gestos, pequenas coisas. Ok Sonhador… Foda-se mas ao menos sei sonhar… Chamem-me sonhador… Pode ser que a sonhar possa ser o Herói que almejo, pois nos meus sonhos quem manda sou eu… ainda…
Sou muito menos do que aquilo que vocês dizem que sou, mas talvez mereça muito mais do que aquilo que acham. E aqui vou vos amando… Distante… Mas sempre presente, não como queria mas como posso. Aqui, longe de vós, “perdido” entre recantos deste meu mundo e os becos do meu coração, eu escrevo tudo aquilo que nunca sou capaz de vos dizer cara a cara, aquilo que eu nunca me permito dizer, não de forma propositada mas porque não sei ser de outra forma, talvez a minha maior virtude/defeito…
Pinto os meus sonhos, ponho um sorriso e assim continuarei a viver sempre na esperança que tudo se resolva, que consiga ser o vosso Herói. Eu escrevo, e escrevo.. .
Estou aqui… sempre com as minhas raízes presentes… sempre com vós… e escrevo…
Escrever para vós é desnudar todos os bosques, onde pinheiros bravos crescem na aridez do solo. Onde sombras na noite escura passam… onde neste momento se encontra a tempestade a pinto de bonança… já não sou eu, que estou mergulhado na escuridão, na tempestade... há muito que vos reencontrei… mesmo longe... um dos pinheiros ainda me segreda sossegos, na noite azul que em mim converge….
Escrever para vós é sustentar este momento certo, em palavras incertas que encenam o que já não queremos (será que alguma vez quisemos esta estranha história?), na compreensão dos fantoches do sistema, no formalismo hipócrita, tão mal desenhado na letra da lei medieval escrita pelos homens, na estupidez de seres que não passam de funcionários da vida, infelizes e apertados nos nós de gravatas cinzentas… ou será mesmo a nossa história cor de rosa… como nos contos de fadas… do príncipe no cavalo branco… ai como gostava de ser o príncipe…
Escrever para vós é o meu voo para a liberdade, na velha estrada onde nos iremos reencontrar… talvez aqui… talvez noutro planeta… noutro mundo… escrever para vós é sorrir-me por dentro de felicidade, ao recordar os momentos a roçar a eternidade que passámos, e entender que ninguém conhece a nossa verdadeira idade…
Estive, Estou e Estarei sempre aqui para Vós…
Ciso Out


Sentido! "sen" tido!!!

por Narciso Santos, em 23.03.18

 

"you move like I want to 

to see like your eyes do 

we are downstairs where 

no one can see 

new life break away 

tonight I feel like more" 

Sinto-me perdido, como se não soubesse como me devo sentir, simplesmente vivo na apatia... perdido entre sentimentos de alegria e tristeza... mas afinal eu devo estar feliz ou triste??? Afinal, que fase é esta por que estou a passar. Garanto-vos que é pouco criativa, resume-se a uma paralisia de pensamentos, como se fosse um menino autista... Sinto-me tão fora deste mundo... O meu mundo! O meu mundo está parado, mas não fui eu que carreguei no pause... eu queria um simples play á velocidade normal... só queria viver e seguir em frente... Sinto-me mal, sinto-me desconfortável comigo mesmo, como se eu pudesse mudar... não sei que personalidade adoptar... será que estou perante mais uma das inúmeras mini-crises existenciais... Nada faz sentido. 

 

O sentido das coisas, 

sempre que o procuramos, 

estamos mais perto de não saber nada, 

de alcançar a ignorância. 

O sentido das coisas sem sentido, 

o sentido do amor, 

o sentido do fogo... 

Mas no fundo nada faz sentido.. 

só o que eu sinto... 

só o que eu sinto é sentido... 

e tu Sentes sem sentido?


Ego / Conv!!!

por Narciso Santos, em 07.03.18

"Hoje e diferente de todos os outros dias... quero obrigatoriamente escrever... é natural que acabe por discutir comigo mesmo, pois não gosto nada que me "obriguem" a fazer qualquer coisa que eu não estou disposto... bem, este já não é o primeiro pensamento que escrevo... e como em tudo o que eu faço, odeio repetir-me. Repetir significa que estou sem criatividade, estou a fazer algo já pensado... Por vezes saem coisas lindas... mas o problema nem é a beleza dos textos... estou mais preocupado com ... o meu bem estar... Egocêntrico e Convencido??? Cada vez acredito menos... Passaram anos a marterizar-me que eu era egocêntrico e convencido que só pensava em mim. Agora que eu decidi assumir que sou egocêntrico e convencido, surgem novas pessoas a contrariar-me. 

Será que sou eu que tenho esta mania de estar do contra... ou sei lá, o mundo está sempre virado ao contrário e contra mim?

Volto mais tarde com outro espírito...

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2018
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2017
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2016
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D

Favoritos