Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Maybe Its Time!!!!

por Narciso Santos, em 16.05.19

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=RdljoTFMhO4

Pensamos que Somos Grandes, porque não olham o mar? Pelo menos não o olhamos verdadeiramente. O mar é imenso e faz umas melodias eternas, o mar esse elemento da natureza que funciona como o melhor xanax que possa existir e ao mesmo tempo esse mar que aglutinou, aglutina tantas almas... Também porque não olhamos de verdade para o céu?
Nunca pensamos na distância das estrelas, quando olhamos para elas. Hoje, a lua está imensa, branca e redonda, pendurada na minha janela, pelos menos sonho que ela encontra-se desta forma, pois já não sei ver a lua... Fiquei com receio que ela resolvesse entrar.
Mas nesse instante, pensei...por que raio entraria justamente no meu quarto. Só porque nas noites em que ela me aparece inteira, toda feita de madrepérola, fico a olhar o céu enfeitiçado...só por isso...
Mas tal qual uma Alice no país dos espantos, encantos, maravilhas, fui diminuindo, diminuindo até ficar do meu tamanho. Senti, então, o quanto nada sabemos do mundo ou de coisa alguma. Conhecemos somente as nossas aflições e algumas outras coisinhas que estão à nossa volta. Depois desta reflexão fácil e simples, veio uma grande vergonha dos meus anseios, vontades e frustrações. Quanto mais eu desejava coisas, mais eu diminuía de tamanho. Fiquei, mesmo, muito pequeno. Tão pequeno, que já não cabia mais em mim, nos meus próprios sonhos. Dei conta, então, que precisava olhar as coisas do mundo com muita atenção, para não me enganar com os seus tamanhos reais. Vou dormir sabendo que eu sou apenas um ser pequeno e aflito que sonha com estrelas e namora luas…

Talvez é tempo de deixar as "velhas coisas" morrerem... Irem... Esquecer que "o que lá vai, lá vai!" Mas depois penso, muitos erros que cometemos no presente, cometemos no passado.... Logo muitas das nossas respostas para o presente e para o futuro não se encontrarão encerradas no nosso passado?


Leio / Lemos ou deveríamos fazer mais vezes!

por Narciso Santos, em 16.05.19

Fontehttps://encrypted-tbn0.gstatic.com/images?q=tbn:ANd9GcSx9iWKPl-7WNAcGEmVyRJELWgm4E4clfqdLS-5pdXNsyQaVnmx

Desde mais o meu muito obrigado ao meu amigo bratáquio pelo destaque do meu texto na semana passada que somente vi hoje!!! :( Mas se com "o escrevo" tive um destaque será que com o "leio" que equivale a saga 2 do texto anterior, merecerá tal feito? Sim se o merecer saberei umas duas semanas após!

Aliás apraz dizer que prefiro mesmo estar do lado do leitor isto de escrever dá muito trabalho, tenho que andar a perder uns poucos minutos nesta metamorfose de juntar palavras que se transformam em frases e frases que se transformam em parágrafos e parágrafos que se transformam em um simples texto (escrevi isto para dar um volume de palavras a este texto senão fico sem saber o que escrever e dá-me hipóteses de pensar no porquê de Ler? Pois aqui vai…."Leio porque preciso. Porque tem credibilidade e porque faz parte da minha cesta básica de informações do dia a dia. Porque gosto de estar informado, saber das coisas e gosto até de ler opiniões divergentes para acompanhar cabeças que pensam diferente da minha (ui.. e quantas cabeças pensam diferente da minha).
Eu, leio para Viver. Para viver melhor. Para sermos. Para nos descobrirmos. Para nos perdermos e para nos encontrarmos (normalmente ando sempre perdido..enfim).
Lemos para nos massacrarmos. Lemos para nos alertarmos. Lemos para nos consciencializarmos. Lemos para não nos acomodarmos. Lemos para não embrutecermos. Lemos para ver. Lemos para sabermos ver. Lemos para ouvir. Lemos para sabermos ouvir. Lemos para pensar. Lemos para sabermos pensar. Lemos porque lemos. Lemos porque sim. Lemos porque sem a leitura deixamos de existir. Lemos porque sem a leitura somos apenas uma sombra de nós. Sombra muito frágil que desaparece à primeira e não muito esforçada oportunidade...

Penso logo existo... Sinto logo existo... Leio logo existo!


Precipício

por Narciso Santos, em 07.05.19

Pelo vidro embaciado do carro, espreito para o Mundo que me espera lá fora...um Mundo que, sem dúvida, não me acolhe como filho mas apenas como um insecto repugnante que voa sem destino...um Mundo que não se revela em mim, que não se proporciona à minha grandeza...um Mundo que desconfia de mim e do meu valor, que me interroga e que me rebaixa...um Mundo frio, gelado, um Mundo sem vida, um Mundo só de ataraxia...
E é este o Mundo que me pertence? O Mundo pelo qual eu luto e pelo qual eu espero? O Mundo que, no fundo, marca a minha passagem nesta vida, o Mundo no qual eu partilho tudo com um mero desconhecido ou com um simples amigo? O Mundo que não é o meu Mundo porque no final o que eu faço e o que todos fazemos é permanecer quedos e mudos...assistindo a destruição do Mundo que construimos e à nossa própria auto-destruição...porque com ele, vai um pouco de nós...e de qual Mundo falo eu?...

Vivemos mesmo no Precipício...


Álcool

por Narciso Santos, em 06.05.19

Ontem quando era um menino irrequieto que me pendurava nos ramos das árvores e me balouçava ao sabor da infância, caía muitas vezes. E magoava-me. Mas não fazia mal. Em casa, a minha mãe curava as minhas feridas com álcool. Ardia, mas curava, garantia-me ela vezes sem conta (o que arde cura, diz o velho ditado).
Hoje, bebo um álcool diferente. Que me faz arder por dentro. Que me queima. Mas infelizmente já não cura as minhas feridas. Tenho saudades de ontem. Porque hoje já faz mal cair. Não há álcool para me curar.


Hey You!

por Narciso Santos, em 02.05.19

Deste lado há um imenso véu cinzento. nevoeiro cerrado em noite escura. sem luar. nem estrelas. nada sei de ti. ameaço mesmo neste fim de noite nada saber de mim também. porque já não me conheço. não ouço vozes. não vejo pessoas. persigo as sombras na esperança da luz. não te encontro. alguém desse lado. ONDE ESTÁS?


Hotel California!

por Narciso Santos, em 30.04.19

Fãs, 1976: Sim, é uma boa música, mas será moda passageira...

Fãs, 1995: Depois de 20 anos ainda oiço esta música, pois é muito boa, mas penso como será o futuro da música e o que pensarão desta(s).

Fãs, 2019: Andamos a ouvir tanto Justin Bieber, Ariana Grande, Taylor Swift e outros, que sub avaliamos esta obra de arte! Acho que nunca mais se fará música como nestes tempos.

Fãs, 2040: Os meus Netos!

Eu para os meus Netos: - DESLIGUEM ISSO!

Meus Netos para mim: - PORQUÊ?

Eu para os meus Netos: - DEIXEM-ME IR A GARAGEM BUSCAR COLUNAS E OUTRO SUBWOOFER MAIS "POETENTES"!

Há musicas que colocamos para a frente mas que nunca apagamos!


Não consigo...

por Narciso Santos, em 30.04.19

...deixar de escrever hoje. Adio as obrigações, escapo-me aos horários e ás pessoas e isolo-me aqui, nesta sala cheia de pessoas sérias e compenetradas que pesquisam e trabalham e eu escrevo. Porque é a forma de te encontrar e de me encontrar a mim mesma também. Num dia frio, mas cheio de sol, cheio de emoção. Em que sorrir faz mais sentido do que qualquer outra coisa. E é assim hoje que escrevo com um sorriso nos lábios e um outro bem mais profundo que se adivinha nos olhos castanhos de amêndoa. Amarga ou doce? Já foram doces. Agora talvez voltem a sê-lo novamente, se o sorriso perdurar. Se os medos, a rotina e tudo o resto não o estragar... 

Ao ouvir esta música regresso no tempo e este filme e banda sonora são uma Harmonia perfeita!

Just take my Breath Away!

 


Escrevo

por Narciso Santos, em 30.04.19

Escrevo porque gosto muito dos palavrões (ou conforme-lhe gosto de os apelidar, meras forças de expressão)
Escrevo para me escrever
Escrevo para passar o tempo
Escrevo porque tenho um blogue
Escrevo porque ainda tenho tinta na caneta
Escrevo para abrir feridas que pensava estarem fechadas
Escrevo porque não me consigo explicar
Escrevo por sonhar acordado e viajar no abstracto e no improvável
Escrevo por necessidade
Escrevo para gritar, para me libertar, para me aprisionar
Escrevo por odiar
Escrevo por tudo, por nada, por alguém, por ninguém
Escrevo para ocupar tempo, por não ter tempo
Escrevo para fugir deste mundo, para entrar neste mundo, para criar o meu mundo
Escrevo para soltar feras, demónios no armário se os tiver
Escrevo para me seduzir e me encantar ou encantar
Escrevo porque sou racional e consigo escrever
Escrevo para ser
Escrevo irracionalidades
É por isto que escrevo
E por muito mais que fica comigo...


Aprende!

por Narciso Santos, em 29.04.19

Fonte: https://www.youtube.com/watch?v=mnBDVS9NLSs

Quando se aprende!

“Quando se aprende a ser ponte e não um muro, tudo se transforma!

Quando se aprende a confiar em si mesmo, e não esperar que os outros confiem, a mudança surge!

Quando se aprende a olhar com os olhos do coração, a beleza se apresenta!

Quando se aprende a sentir a plenitude da vida, a dor desaparece!

Quando se aprende que para surgir o progresso, a mudança participa activa, os caminhos se abrem!

Quando se aprende que não existe o acaso, tudo o que é aparentemente “ruim” percebe-se que é lição, surge o crescimento!

Quando se aprende, que a vida é constante aprendizado, a humildade se faz presente!

Quando se aprende, que o truque para receber é se doar, cessam as cobranças e as exigências.

Quando se aprende a silenciar, observar, abençoar, agradecer, agir… Os sonhos se realizam, serenamente, docemente…

Quando se aprende que soltar e deixar livre, na verdade prende… Aprende-se a ser leve, intenso, sóbrio na mente e no coração… Então sim, tudo acontece, delicadamente!

E todos, desejam a nossa presença… A simples presença!”

A vida é assim... Vivendo e aprendendo...


Sorrisos

por Narciso Santos, em 27.04.19

Fontehttps://www.youtube.com/watch?v=d1acEVmnVhI

Há sorrisos que nos deixam assim... sem palavras. Há sorrisos que nos enxugam lágrimas e outros ainda que evitam que elas caiam. Há sorrisos que nos tomam de assalto o coração e nos conquistam.  
Detesto os sorrisos forçados, amarelos, gelados e convencionais. Gosto dos grandes sorrisos. Cheios de Vida, de confiança no amanhã, mesmo que seja um amanhã de lutas, de sol, de chuva, de luas... Gosto que sorriem ao pé de mim...

"Disarm me with a smile!"

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2017
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2016
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D

Favoritos