Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

http://cisosemjuizo.blogs.sapo.pt

"Louco? Loucos são os Loucos que me chamam Louco mas que não conseguem ver a genialidade da minha Loucura!"

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Life / Vida...

por Narciso Santos, em 16.09.17

 "The Offspring - Meaning Of Life (piano version)"

 

As vezes pergunto-me qual será; qual é o meu legado... ou melhor os cuscos / custas perguntam-me isso. A minha primeira reacção seria manda-los passear, mas a segunda reacção é sempre "sei la eu...".

A porcaria da "busca" é complicada, deveria ser simples mas infelizmente não o é...

Basicamente sou Pai!

Basicamente sou Filho!

Basicamente sou Irmã!

Basicamente sou Amigo!

Basicamente posso ser Inimigo, mas prefiro não o ser...

Sou o meu Ser e o vosso Sorriso ( não sei porque escrevi esta parte mas soou bem....).

Sou as estradas das Caxinas, sou o Mar das Caxinas, faço parte do meu Povo Caxineiro!

Tento "tocar" respeitar o modo de vida das minhas gentes; da mesma forma como eles "tocaram" moldaram e moldam a minha vida.

Eu simplesmente Vivo!

O que normalmente vejo são as pessoas tentarem sobreviver... Para quê chorar? Para quê sofrer? Para quê olhar para os "cêus à procura de uma solução, quando só depende de nós?

Vamos viver, gozar, bailar, beber...

Viver o momento para entender o raio do destino, mesmo ele sendo injusto.... escutar em silêncio... para encontrar o caminho, o norte ou a nossa "ancora" que não importa para onde vamos, sabemos sempre para onde e para quem regressar.

Por isso Vivemos a nossa Vida neste mundo e não deixemos este mundo Viver a nossa vida por nós...

Just LIVE dont look back...

Só temos esta vida e este dia já está a contar...

P.S. Escrever isto num telemóvel e dentro de um avião não é nada fácil...

Reticências...

por Narciso Santos, em 05.09.17

"Adoro Reticências...

Aqueles três pontos intermitentes que insistem em dizer...
que nada está fechado, que nada acabou, que algo sempre está por vir...
A vida se faz assim...
Nada pronto, nada definido...
Tudo sempre em construção.
Tudo ainda por se dizer...
Nascendo...
Brotando...
Sublimando...
Vivo assim...
Numa eterna reticência...
Fazia frio, as minhas pernas tremiam... e depois... depois já nada fazia sentido... tudo trocado... num misto de ma disposição com felicidade... um turbilhão de sensações... uma alegre confusão... a paz... a alegria... o sonho... vivemos no meio destas reticencias todas... como se de um trilho se trata-se... entre estas reticencias nos vivemos nos pensamos, sonhamos...
Para que colocar ponto final?
O que seria de nós sem a expectativa de continuação?"aiiii reticencias que me perseguem...

Linhas separadoras...

por Narciso Santos, em 03.08.17

Pois não deveria haver merda linha alguma e imperar sempre o bom senso, o problema reside mesmo neste facto, as pessoas hoje em dia não têm bom senso, logo a linha entre a estupidez humana e o bom senso é muito ténue...

Gosto quando me "enfiam" com resposta "por isso houve o 25 de abril" ou "vivemos em um país democrático", pois sim meus queridos vivemos mas esta merda  vivência faz com que compreendamos que de facto o 25 de abril nos trouxe uma série de direitos que antes não tínhamos mas ao mesmo tempo trouxe uma série de deveres (mas esta parte normalmente não interessa a ninguém...).

Estarmos em um estado de direito, em um estado de democracia não trás o direito a ninguém de vir para a praça pública (neste momento são as redes sociais) debitar merda  asneirada, insultos e o raio que os parta. Todo o mundo tem direito à sua opinião e afins desde que a mesma não vá contra o direito dos demais, desde que a sua opinião seja fundamentada e acima de tudo EDUCADA, mas todo o mundo hoje em dia escondesse atrás de um teclado e nem quer saber de nada e entra aqui o "doi a quem doer", e o disparate e começam a merda  dos "disparos" em todos os sentidos, sem qualquer sentido. Isto chega a ser tão rídiculo de alguém ser atropelado em pleno passeio, e em vez de culparem o condutor que estava numa picardia com uns amigos de carro, a culpa ser dos inocentes "que não deveriam andar na rua aquelas horas"; isto chega a ser tão rídiculo que coloca-se um post sobre um par de meias e no fim de 10 comentários já vai na mãe de não sei quem, pois... Aqui entra mesmo a Puta da Linha Separadora!

Gostava imenso que um destes tipos "democráticos" que destilam veneno atrás de um teclado fosse 1 mês viver para um país "democrático" onde eu trabalhei, pois é tão mas tão democrático que um simples colar de um panfleto dá direito a levar um tiro na cabeça, relembro que é um país "democrático"...

 A melhor coisa que nos aconteceu sem sombra de dúvidas foi a liberdade de expressão, foi podermos ter a liberdade de escolha, de escrita (por isso posso aqui escrever) mas isto não dá o direito a mim nem a ninguém de vir para aqui insultar A, B ou C sem mais nem menos, sem qualquer tipo de filtros, só porque sim.

Relembro uma coisa importante, a minha liberdade termina quando esbarra com a liberdade do outro, por isso, existe também uma linha que separa a minha liberdade dos demais, o problema reside em algumas pessoas não saberem onde começa a fronteira dos direitos e a fronteira dos deveres! 

Para finalizar gostaria de relembrar 2 coisas:

1 - Terceira lei de Newton (Sempre quis dar um ar científico aqui a este canto): "A toda ação sempre há uma reação de mesma intensidade e direção, porém sentidos opostos."

2 - Indo no sentido da Lei de Newton e na onda das "linha" quando comentarem têm em consideração que existe uma linha muito fininha, muito ténue entre o meu punho e a vossa cara, logo para os / as  idiotas esta linha poderá desaparecer!

 

 

Antítese!

por Narciso Santos, em 01.08.17

Descontrolo, vazio sentido amarga a alma. Semblante triste e ofegante abraça sombras de corpos que se procuram. Mordaz silencio impera no coração  Vozes ao escuro, gritos de lágrimas que se perdem no rosto. O cheiro do mar logo ali, invadindo janelas entreabertas. Vago sentir. Alguém grita por alguém  procura-se algo. O nada torna-se o sentido de tudo. Aonde estou? Quem sou? Quem fui e serei? Inúmeras interrogações no silencio da alma. Uma luz acesa não será o mesmo que uma luz apagada, mas no escuro o nada pode ter outro sentido, talvez o sentido que se procura. 

Acordar Cedo e Cedo erguer...

por Narciso Santos, em 27.07.17

IMG-20170724-WA0000.jpg

Faz todos os músculos e ossos do corpo doer.

 A minha empresa é patrocinadora de uma equipa de ciclismo e aqui tenho um equipamento para mim, hummmm.... das duas, uma!

1 - Isto é um mimo que a empresa me está a dar (pois o preço daquilo, DAMMM!)

2 - Isto é uma indirecta para eu sair do meu sedentarismo e recomeçar pela 10298940494 vez a fazer exercício físico.

Lá fiquei com a pulga atrás da orelha... cheguei a casa e lá experimentei o "fato" e logo percebo que afinal nada tinha a ver com o ponto 1, mas sim com o ponto 2 pois a "camisola" de ciclismo, mais me ficava um top, pois o MEU abdominal, fazia com que eu parecesse uma grávida de 5 meses.

Lá olho para as resoluções de fim de ano e percebo que não estou a cumprir com nenhuma delas e resolvo (para mal dos meus pecados) acordar todos os dias apartir de segunda feira às 6:20 da manhã e recomeçar a fazer 1 hora de bike.

Leio meia dúzia de sites de como recomeçar a fazer exercício e afins, e todos remetiam para eu beber coisas verdes mais saídas de um caldeirão de uma qualquer bruxa, outros para eu ver imagens de amigos que faziam exercício, e outros como fazer exercício sem dor... e afins.... Vi logo que tudo o que lera era uma imensa perca de tempo!

Acordar a esta hora já por si só é complicado, imaginem agora vestir aquela fatiota cheio de sono! Quando termino de a vestir (tarefa árdua pois a roupa teimava em não entrar, estava mais apertada do que na sexta, quando a experimentei e logo penso terá sido os enchidos; o queijinho; hummm aquele tiramissú, e as natas, o tintol...), já estou tão transpirado que pensei que tinha feito o exercício do dia, mas como ainda eram 6:30 da manhã, lá me convenço pela vigésima vez que é para ir em frente.

Desço as escadas equipado a rigor, vou em direcção à bike e eis que por uma lado tinha metade do selim roído pela minha querida Pastor Alemã "Pipa" por outro os pneus estavam em baixo, dado o extremo uso que lhe dei nos últimos anos, mas lá encho os pneus, saco as teias de aranha da bike e lá me faço à estrada!

Passado 10 km regresso a casa, todo transpirado, coisa que durou uns 35 minutos... Olho para o Relógio, vejo o tempo que demorei de bike a fazer 10km, vejo o estado em que me encontro (arfar como um desalmado), as dores nas pernas e no rabo, pois a cena almofadada do equipamento não evita uma tremenda dor no rabo e uma vez tenho a certeza que o que tinha lido de facto foi perca de tempo, mas cá ando à 4 dias seguidos a fazer "isto".

O que aprendi que não aparece nos sites?

1 - Quando nos fazemos à estrada optar sempre em primeiro lugar em ir contra o vento, pois estamos menos cansados e a volta será menos extenuante (teremos o vento a favor); claro que no primeiro dia fiz o contrário e estava a ver que tinha que ligar a alguém para me vir buscar de carro.

2 - Qando nos fazemos à estrada convém não esquecer de ir bem penteado; colocar gel; roupa a rigor; perfume; maquiagem e afins. Pois isto é um dois em um, além de exercício físico também treinamos para futuras passagens em passerelles de modelos.

3 - Uma das razões que ando de bike em frente ao mar é para o poder contemplar e sentir o cheiro a maresia, mas torna-se tarefa impossível, pois cada pessoa que passa por mim, antes de sair de casa deve-se mergulhar em perfume, para não cheirar ao CK Sovaco (mesmo sabendo que o ritmo que mantêm não provocará transpiração, pois aqui correm o risco de estragar o look).

4 - Eu quando saio de casa por cima da fatiota visto um casaco pois está frio por aqui no Norte, e o que me espanta, ou não... é ver tipos a correr em tronco nú, provavelmente a tshirt que levam nas mãos devem fazer com que transpirem imenso, ou será para mostrar o "Six Pack"?

4.1. - Todos os tipos que correm em tronco nú, não têm um único pelo no corpo, ainda vem que vou todo "tapadinho", apesar de os meus pelos das pernas me denunciarem.

Por isso fica a questão: O que me motiva a acordar cedo para fazer exercício físico?

1 - De certeza não é o "six pack" pois tenho frio para andar por aí em tronco nú, e decerto não estou muito virado para a moda da depilação. Também andei 2 décadas a investir no meu "pipo" e não é agora que o vou perder!

2 - Adoro comer, e agora tenho a desculpa de repetir um segundo ou terceiro prato de feijoada, ou arrroz de cabidela, ou emborcar 2 pães com manteiga, queijos, enchidos, etc... Pois direi amanha lá terei que fazer um Km extra para compensar esta comida.

3 - Não terei de chegar ao segundo copo de vinho e parar, pois o vinho engorda... tal como a cerveja...

4 - Notei uma diferença nestes 4 dias no trabalho, pois venho mais desperto e com mais energia, quando pensei que iria acontecer o contrário.

5 - Se a parte profissional correr mal, sempre posso tentar ingressar numa equipa de ciclismo de reformados.

6 - Roupa cara sempre ajuda a dar um empurrão, pois pensamos, fogo aquilo custou tanto e vai ficar arrumado, ao menos dou um uso e faço figura pouco profissional na rua.

Finalizando com a frase filosófica diga dos maiores filósofos de todos os tempos: "Um Homem sem barriga é um Homem sem história"!

 

 

 

 

 

Que raio de País é este?

por Narciso Santos, em 26.07.17

Pelo vidro embaciado do carro, espreito para o País que me espera lá fora...um País que, sem duvida, não me acolhe como filho mas apenas como um insecto repugnante que voa sem destino...um País que não se revela em mim e em ninguém, que não se proporciona à grandeza do seu povo...um País que desconfia de mim de ti, de nós e do nosso valor, que me interroga e que me rebaixa...um País frio, gelado, um País sem vida, um País só de ataraxia...

E é este o País que me pertence? O País pelo qual eu luto e pelo qual eu espero? O País que, no fundo, marca a minha passagem nesta vida, o País no qual eu partilho tudo com um mero desconhecido ou com um simples amigo? O País que não é o meu País porque no final o que eu faço e o que todos fazemos é permanecer quedos e mudos...assistindo a destruição do País que construímos e à nossa própria autodestruição...porque com ele, vai um pouco de nós...

Que raio se passa com este meu País?

“Astronauta, você volta e me deixa dar uma volta na nave, passa a chave que eu tô de mudança

Seja bem-vindo, faça o favor

E toma conta do meu computador

Porque eu tô de mala pronta, tô de partida

E a passagem é só de ida

Tô preparado pra decolagem, vou seguir viagem, vou me desconectar

Porque eu já tô de saco cheio e não quero receber nenhum e-mail com notícia dessa merda de lugar” Gabriel do Pensador!

Reticências...

por Narciso Santos, em 25.07.17

És frágil… estás só no meio de tanta gente… num turbilhão de empatias... que sabes que serão responsáveis pela tua descida ao duro e doce estado de melancolia onde as lágrimas já não escorrem... onde os sorrisos são meras máscaras forçadas utilizadas para enganar o sol que brilha lá longe…

Sentes-te sozinha, só querias saber o caminho... o passo que dar... mas julgas-te sem forças... julgas-te fraca... queres sentir aquele cheiro de quem abraça quem ama... queres sentir aquele calor que te enche os olhos luz...

Apetece-te estar sozinha longe de todos os teus problemas... e quanto mais corres para chegar aquela montanha onde o por do sol demora horas... e a lua brilha sempre acompanhada por um mar de estrelas... onde consegues ver as ondas do mar... e sentir o vento dançar pelos campos doirados do trigo... quanto mais corres... mais os teus problemas te aparecem pela frente... duros e frios como paredes de cimento... sentes-te um labirinto onde a luz não chega... onde só encontras saídas dolorosas...

Estás carente... queres apoio... queres um beijo que te encha a alma... querias ter força para sonhar... para continuar... continuar a viver daquela fonte tão utópica como bela que é o amor puro..

Eu conheço alguém que te ama...

Eu conheço alguém que se te conhecer melhor... se te compreender... se souber o que tu realmente queres... te poderá ajudar... Eu conheço alguém que promete que vai tentar sempre ser o mais justa e sincera contigo...

Eu conheço... é aquele vulto de olhos sem brilho, de postura derrotada que tu encontras no espelho... sempre que te vais convencer de que vale a pena viver...

Sometimes...

por Narciso Santos, em 24.07.17

 

...tenho medo. dessas pessoas que entram sem avisar. não pedem liçença e apenas entram. e ficam. constroem castelos no ar. e depois sem avisar novamente partem. deixam saudades e pó nas coisas. que não me atrevo a limpar. como plasticina. como brincadeira de criança, deixas-te moldar. seres em ti ou seres no outro. quando dás por ti já nem sequer sabes bem quem és. já foste. e nos olhos fica o brilho triste e melancólico de uma saudade. de uma vida que já torna. assim, às vezes, tenho medo das pessoas. muito medo

Sonhos!

por Narciso Santos, em 20.07.17

Sentei-me no mesmo lugar de sempre.. naquela duna virada para o mar.. onde o vento não sopra.. e chega o reflexo do sol alaranjado que depressa se vai por lá no horizonte.. sentei-me e senti que naquele dia algo estava diferente.. um cheiro doce no ar.. uma energia.. que percorria um corpo já estafado.. uma energia que me fazia fechar os olhos, e sorrir... sentir o sol que ainda brilhava e aquecia como se um sopro carinhoso se tratasse.. era uma energia que me fazia sonhar.. sonhar.. com um cenário idílico.. Sonhar com uma praia. com uma duna, com um por do sol, contigo.. ao meu lado a olhar o mar, sentados tão próximos que nem era preciso tocar para sentirmos a pele um do outro.. Sonhos.. e mais sonhos.. Sonhos que eu tenho aqui neste meu cantinho nesta duna perdida numa praia já esquecida com um mar já rendido a um por do sol tão belo como singular... á dias assim... dias em que sonhamos viver o que vivemos.. mas com a pessoa que gostamos do nosso lado.. partilhando da mesma sensação que nos enche a alma e nos faz sonhar...

Lemos!

por Narciso Santos, em 19.07.17

E Eu? O que estou do outro lado? O lado do leitor?

Aliás apraz dizer que prefiro mesmo estar do lado do leitor isto de escrever dá muito trabalho, tenho que andar a perder uns poucos minutos nesta metamorfose de juntar palavras que se transformam em frases e frases que se transformam em parágrafos e parágrafos que se transformam em um simples texto (escrevi isto para dar volume de palavras a este texto senão fico sem saber o que escrever e dá-me hipóteses de pensar no porquê de Ler?

Pois aqui vai…Leio porque preciso. Porque tem credibilidade e porque faz da minha cesta básica de informações do dia a dia. Porque gosto de estar informado, saber das coisas e gosto até de ler opiniões divergentes para acompanhar cabeças que pensam diferente da minha (ui.. e quantas cabeças pensam diferente da minha).

Eu, leio para Viver. Para viver melhor. Para sermos. Para nos descobrirmos. Para nos perdermos e para nos encontrarmos (normalmente ando sempre perdido..enfim).

Lemos para nos massacrarmos. Lemos para nos alertarmos. Lemos para nos consciencializarmos. Lemos para não nos acomodarmos. Lemos para não embrutecermos. Lemos para ver. Lemos para sabermos ver. Lemos para ouvir. Lemos para sabermos ouvir. Lemos para pensar. Lemos para sabermos pensar. Lemos porque lemos. Lemos porque sim. Lemos porque sem a leitura deixamos de existir. Lemos porque sem a leitura somos apenas uma sombra de nós. Sombra muito frágil que desaparece à primeira e não muito esforçada oportunidade. 

Ler tem que ter um porquê?

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Favoritos